Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Premiê japonês discute disputa por ilhas com Obama

Em encontro na Casa Branca, Shinzo Abe disse ao presidente americano que disputa com a China por Diaoyu/Senkaku é administrada com tranquilidade

A disputa entre Japão e China por um arquipélago foi assunto debatido nesta sexta-feira em uma reunião entre o premiê japonês, Shinzo Abe, e o presidente americano, Barack Obama. As ilhas Senkaku (chamadas Diaoyu pelos chineses) são controladas pelo governo japonês, mas reivindicadas pela China e também por Taiwan.

“Nós sempre tivemos de lidar com o assunto de forma tranquila e continuaremos a fazer isso”, disse o premiê, em declarações repassadas por seu tradutor, após o encontro com Obama na Casa Branca.

As tensões entre China e Japão aumentaram nas últimas semanas, mas Washigton parece querer reduzir a temperatura, como demonstrado na véspera da visita de Abe. O conselheiro chefe de Obama para Ásia, Danny Russel, disse que os EUA querem focar na diplomacia para evitar um erro de cálculo no duelo entre a segunda e a terceira maiores economias mundiais. “Ninguém quer permitir uma escalada nas tensões”.

O tom é diferente do registrado até um mês atrás, quando a então secretária de Estado Hillary Clinton advertiu a China a não desafiar o controle do Japão sobre as ilhas, provocando uma reprovação de Pequim. A ex-secretária também reiterou que os Estados Unidos consideram as ilhas como parte do pacto de segurança com o Japão o que garante a proteção americana do território.

Questionamento – Esta semana, o Japão pediu ao governo da China que explique por que barcos chineses colocaram várias bóias no Mar do Leste da China, perto das ilhas – que são reivindicadas também por Taiwan. Segundo Yoshihide Suga, porta-voz do governo japonês, embarcações da Administração Oceânica do Estado da China, órgão semelhante à guarda costeira, distribuiu as bóias na última semana em águas controladas pela China perto do arquipélago.

A imprensa japonesa indicou que as bóias poderiam ser usadas para monitorar submarinos japoneses em águas ao redor do arquipélago. O porta-voz disse que as bóias podem estar sendo usadas para monitorar correntes oceânicas. No entanto, o ministro da Defesa do Japão, Itsunori Onodera, afirmou que os equipamentos podem ser usados para rastrear embarcações próximas.

Suga não especificou a que distância as bóias estão localizadas das ilhas. Explicou apenas que foram colocadas em águas controladas pela China, no último dia 17, a menos de 300 metros do limite das águas controladas pelo Japão.

Leia também:

Leia também: Dois caças russos invadem espaço aéreo japonês

Histórico – O Japão controlou o arquipélago de 1895 até 1951, após a derrota na II Guerra Mundial para os Estados Unidos, que administraram as ilhas até 1972. Naquele ano elas foram devolvidas ao Japão.

A China nunca aceitou a soberania japonesa sobre as ilhas, posição que se intensificou em setembro do ano passado, quando o governo japonês comprou três das cinco ilhas de um proprietário privado – as outras duas já eram do estado.

O pedido de explicação do Japão é um novo capítulo na disputa, que teve um ponto alto de tensão no início deste mês, quando o governo japonês protestou contra a ameaça representada por uma fragata chinesa que apontou contra um navio japonês um radar de guia de disparos. A China negou ter feito tal manobra.

(Com agência France-Presse)

Ilhas são disputadas por China e Japão devido à riqueza natural Ilhas são disputadas por China e Japão devido à riqueza natural

Ilhas são disputadas por China e Japão devido à riqueza natural (/)