Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Premiê israelense revelará ao Congresso americano suas ideias para um acordo de paz com os palestinos nesta terça

Mas Netanyahu já adiantou que não pode regressar às fronteiras de 1967

Por Da Redação 24 Maio 2011, 10h22

Nesta terça-feira o mundo deve conhecer os planos de Israel para o desenho das fronteiras palestinas. O premiê israelense Benjamin Netanyahu discursará ao Congresso americano ainda pela manhã e prometeu revelar quais seriam seus termos para estabelecer a paz na região.

O pronunciamento ocorre na manhã seguinte ao encontro de Netanyahu com os principais lobistas judeus nos Estados Unidos, quando ele afirmou que o conflito só persiste porque os palestinos se negam a dar um fim a ele. “Nós queremos que esse impasse termine: conhecemos a dor do terror e a agonia da guerra. Ele só se estende por quase um século porque os palestinos se recusam a aceitar o estado judeu”, disse o primeiro-ministro.

Contudo, ele já adiantou que não incluirá uma retirada para as fronteiras que existiam antes da guerra de 1967, proposta que recebeu o apoio do presidente americano Barack Obama, em discurso na semana passada. “Quero garantir uma coisa, (a paz) deve deixar Israel seguro e este Israel não pode regressar às fronteiras indefensáveis de 1967”, destacou Netanyahu ao falar ao Congresso Anual do American Israel Public Affairs Committee (Aipac), principal grupo de influência pró-israelense nos Estados Unidos, com cerca de 100.000 membros.

O antigo tema dos estados israelense e palestino voltou recentemente à tona às negociações internacionais impulsionado pela visita de Netanyahu aos EUA e o acordo de paz entre os partidos palestinos Fatah e Hamas. Em três meses, os palestinos devem pedir ainda à Organização das Nações Unidas (ONU) que reconheça o estado palestino nas fronteiras anteriores à guerra de 1967.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade