Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Premiê de Lesoto denuncia golpe militar e deixa o país

A uma TV sul-africana, Thomas Thabane diz ter fugido do país após Exército tomar controle do quartel de polícia e das estações de rádio e telefonia

(Atualizado às 14h36)

O primeiro-ministro de Lesoto, Thomas Thabane, afirmou neste sábado que o Exército tomou o controle do país com um golpe de Estado, o que o obrigou a fugir para a África do Sul. “Mas não vou renunciar. Seria um desserviço ao povo que me elegeu”, disse à emissora sul-africana eNCA. Thabane responsabilizou o chefe do Exército, Tlali Kamoli, pelo golpe e disse que vai buscar ajuda dos países da região para reaver o poder.

O Exército tomou o controle do quartel de polícia e das estações de rádio e telefonia de Lesoto na madrugada. Durante a ação, foram registrados vários tiroteios, embora não haja informação sobre vítimas. Thabane disse que fugiu de sua residência após ser avisado de que estava sendo procurado por militares.

Exército nega – O major Ntlele Ntoi, porta-voz dos militares, negou o golpe de Estado e afirmou que apenas realizou uma operação contra a polícia, que é acusada de vender armas aos partidos políticos. “Não houve e nunca haverá um golpe de Estado em Lesoto perpetrado pelo Exército”, disse o major em entrevista à rede de notícias sul-africana ANN7.

Thabane fechou recentemente o Congresso por nove meses por causa de uma crise na coalizão que há dois anos o sustentava no poder. Segundo o jornal sul-africano The Times, o primeiro-ministro e o chefe do Exército romperam depois que Thabane tentou derrubar o general por suspeitar que ele conspirava contra seu gabinete.

O reino de Lesoto, encravado na África do Sul, obteve em 1966 a independência do Reino Unido e há décadas é palco de sucessivos golpes de Estado. Cerca de 60% dos habitantes de Lesoto vivem na pobreza.

(Com agência EFE)