Clique e assine a partir de 9,90/mês

Premiê britânico usa própria luta em campanha contra obesidade

Nova ação do governo cita pesquisas que indicam que condição pode agravar quadros gerados pelo novo coronavírus

Por Da Redação - Atualizado em 27 jul 2020, 14h12 - Publicado em 27 jul 2020, 13h54

Citando sua própria luta contra o sobrepeso, o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, incentivou nesta segunda-feira, 27, os britânicos a entrarem em forma e combaterem a obesidade, que pode agravar quadros gerados pelo novo coronavírus

Com mais de 60% dos adultos no país considerados acima do peso ou obesos, de acordo com dados do Departamento de Saúde, o governo apresentou nesta semana uma campanha chamada “Better Health”, algo como “Saúde Melhor”, que inclui serviços médicos para perda de peso dentro do Serviço Nacional de Saúde. 

Além disso, novas medidas foram implementadas, incluindo a proibição de propagandas na TV e na internet depois das 21h de junk food, alimentos com alto teor calórico, mas com poucos nutrientes. Além disso, redes que vendem produtos do tipo precisam encerrar promoções em que, ao comprar um item, o segundo é de graça. As calorias agora também serão exibidas nos menus de grandes redes de restaurantes fast food.

Johnson foi diagnosticado com coronavírus em março e, em abril, acabou hospitalizado na UTI por três dias. Desde então, o premiê, de 56 anos, disse já ter perdido mais de 6 quilos. Sua mulher, Carrie Symonds, também foi infectada, mas desenvolveu apenas sintomas leves.

Continua após a publicidade

As novas medidas acontecem em meio a pesquisas que indicam que pacientes obesos ou acima do peso têm chances mais altas de morte ou de quadros graves se infectados pela Covid.

A contaminação do premiê reforçou a determinação de seu governo sobre a necessidade da quarentena, agora já mais flexibilizada. O Reino Unido soma 300.111 casos confirmados e 45.759 mortes e é o mais mais atingido pela pandemia na Europa. No mundo, o país está apenas atrás de Estados Unidos e Brasil

Conhecido como “bon vivant”, falando abertamente no passado sobre gostar de vinhos tintos caros, acompanhados de queijos e frios, Johnson tenta frequentemente se mostrar como um exemplo à população. Quando foi prefeito de Londres, o premiê defendeu que a população pedalasse para o trabalho e introduziu bicicletas para uso público na cidade. 

No mês passado, Johnson afirmou que a população britânica está mais obesa que a maioria dos outros países da Europa, com exceção de Malta, e que seu governo está pronto para responder à “bomba-relógio da obesidade”. 

Continua após a publicidade

As novas propostas, no entanto, não encheram os olhos da oposição. O Partido Trabalhista afirmou já ter ouvido “grandes promessas” dos Conservadores no passado e criticou o partido governista por cortes recentes à Saúde.

“Uma estratégia eficaz contra a obesidade precisa de ação, e não de discussões”, disse o chefe do Partido Trabalhista para a área da Saúde e políticas sociais, Alex Norris. “Os Conservadores cortaram a Saúde pública até o osso e as pessoas estão pagando por esses dez anos”. 

(Com Reuters)

Publicidade