Clique e assine a partir de 9,90/mês

Premiê britânico rejeita negociar Malvinas com a Argentina

Declaração foi dada após decisão do Mercosul de bloquear acesso de navios com bandeira das Malvidas nos portos do bloco econômico

Por Da Redação - 8 jan 2012, 08h33

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, descartou negociar com a Argentina a soberania das Malvinas e disse que seu país “deve manter sempre a vigilância das ilhas do Atlântico Sul”. A declaração foi dada neste domingo à emissora britânica BBC, depois de uma pergunta sobre a decisão dos países do Mercosul de bloquear o acesso de navios com bandeira das Malvinas a seus portos.

Ilhas Malvinas

[googlemaps http://maps.google.com/maps/ms?msa=0&msid=202667558411261620310.0004b60338e0b8e66d8f9&ie=UTF8&t=m&vpsrc=6&ll=-41.112469,-59.589844&spn=40.803711,46.757813&z=3&output=embed&w=100%&h=480%5D

As Ilhas Malvinas são um grupo de ilhas no Atlântico Sul. Elas pertencem à Inglaterra, mas são reinvidicadas pela Argentina desde 1893. Cerca de 3.000 britânicos vivem no território cuja principal fonte de renda vem da pesca e cultivo de frutos do mar.

Continua após a publicidade

David Cameron destacou a importância de manter a defesa das ilhas: “temos de estar permanentemente atentos”. Cameron também defendeu o estabelecimento de fortes relações da Grã-Bretanha com os países da América Latina. Neste ano, lembra-se o 30º aniversário da Guerra das Malvinas. Em 1982, a Argentina entrou em conflito com os britânicos pela posse das ilhas, cuja soberania é reivindicada por Buenos Aires desde 1833.

Em uma cúpula realizada no dia 20 de dezembro passado em Montevidéu, os países-membros do Mercosul – Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai – decidiram impedir navios com bandeira das Malvinas de acessarem seus portos, como forma de apoio à histórica reivindicação de Buenos Aires.

(Com agência EFE)

Publicidade