Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Prefeito filipino é morto por franco-atirador durante cerimônia

Antonio Halili, conhecido por fazer criminosos desfilarem na cidade, levou um tiro no peito durante o hasteamento da bandeira nacional

O prefeito da cidade de Tanauan, nas Filipinas, morreu depois de tomar um tiro provavelmente disparado por um franco atirador, revelou a polícia local. Ele participava de uma cerimônia de hasteamento da bandeira quando foi atingido no meio do peito. Chegou a ser socorrido, mas morreu no hospital.

Antonio Halili era conhecido aliado do presidente Rodrigo Duterte e ferrenho defensor de sua política de guerra às drogas. No passado, ele realizou paradas, conhecidas como “caminhada da vergonha”, em que criminosos desfilavam. A prática durou de 2014 a 2016, quando Duterte chegou ao poder.

Um vídeo capturou o momento em que Halili recebeu o disparo. É possível ver o prefeito parado, enquanto a bandeira é hasteada, e cantando o hino nacional filipino ao lado de seus funcionários. Em seguida, a filmagem focaliza outras pessoas presentes na cerimônia. É possível ouvir um disparo e ver as pessoas fugirem do local.

De acordo com a agência estatal filipina Philippines News Agency (PNA), as forças de proteção do prefeito dispararam de volta, mas não era possível saber de onde o tiro foi disparado. Halili foi levado ao hospital, mas teve a morte declarada menos de uma hora depois de alvejado.

Segundo as autoridades, não é possível determinar se a prática da caminhada da vergonha teria sido o motivo para o disparo. Mas o prefeito vinha recebendo ameaças de morte devido às suas posições anti-drogas e anti-criminalidade. Um grupo especial de investigação foi criado para o caso.

O Superintendente Provincial, Edward E. Caranza, informou que o tiro foi disparado à distância de um rifle de alta potência, provavelmente de calibre 5,56 ou 7,62.

A morte do prefeito foi condenada pelo grupo de direitos humanos Humans Right Watch (HRW). “O assassinato desta manhã do prefeito da cidade de Tanauan, Antonio Halili, como as milhares de mortes na ‘guerra às drogas’ do governo de Duterte, exige uma investigação imediata e completa das autoridades filipinas”, afirmou em comunicado.

“Apesar de não concordarmos com o método do prefeito Halili de lidar com o crime e as drogas ilegais em sua cidade, seu assassinato é condenável. Ele pode ter privado muitos residentes de Tanauan do devido processo, mas isso não significa que ele também deva ser privado”, completou o HRW.

Os funcionários da prefeitura também lamentaram a morte. A vice-prefeita Jhoanna Corona-Villamor, que substituirá Halili, pediu Justiça pelo ocorrido e afirmou à rede americana CNN que a política anti-drogas irá continuar. “Estou convocando o presidente Duterte para ajudar Tanauan e seu povo a obter justiça para o bom prefeito”, afirmou.