Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Prefeita quer transformar Turim na primeira “cidade vegana”

O projeto de governo incentiva que a população pare de comer carne, não consuma produtos de origem animal e reconheça os animais como sujeitos de direito

A culinária do norte da Itália é famosa no mundo inteiro e tem na carne um de seus principais ingredientes. Se depender da nova prefeita de Turim, porém, a tradição não vai durar muito tempo. Chiara Appendino, do partido Movimento Cinco Estrelas (M5S) anunciou que um novo programa alimentar será a prioridade da sua administração: a promoção da gastronomia vegetariana e vegana na cidade.

Um manifesto de 62 páginas produzido pelo partido, que assumiu a prefeitura em junho, justifica que incentivar uma dieta livre de carne e até mesmo laticínios para os cidadãos é essencial para proteger o meio-ambiente e melhorar a saúde da população. Segundo Appendino, o projeto de “cidade vegana” também vai buscar construir “uma cultura de respeito que reconheça todos os animais como sujeitos de direito”, explicou ao jornal La Reppublica.

A prefeita não chegou a divulgar detalhes das medidas que vai tomar em Turim para alcançar seu objetivo, mas já informou que a cidade italiana terá projetos educacionais, onde as crianças aprenderão sobre bem-estar animal e nutrição. Uma das propostas é criar datas especiais, como um dia da semana em que a população será incentivada a abrir mão da carne, para que a nova cultura se construa aos poucos, comentou Stefania Giannuzzi, conselheira do meio-ambiente do partido, que é vegetariana há 20 anos.

Leia também:
Restaurante vegano é atacado por ‘nacionalistas armados com salsichas’ na Geórgia
Clientes de restaurante vegano descobrem que donos comem carne e se revoltam

O projeto da nova prefeita vai mais além do que tentar fazer com que os moradores de Turim se tornem veganos. Um dos pontos do manifesto também propõe instituir regras mais rígidas acerca de testes animais: prédios governamentais e escolas, por exemplo, deveriam parar de consumir qualquer bem que não passe no critério de “livre de crueldade”.

Infelizmente, para Appendino, o que pareceu uma boa intenção se tornou piada no país. Alguns italianos comentaram nas redes sociais que o partido estava instituindo uma “lei de babá” na cidade, tentando ensinar aos moradores como se alimentar corretamente. Além disso, o M5S parece ter subestimado o desafio de quebrar tradições gastronômicas na Itália. No ano passado, quando a Organização Mundial da Saúde taxou embutidos, como salsicha e salame, de “cancerígenos”, produtores italianos se revoltaram e declararam que a OMS fazia um “terrorismo da carne”.

Wi-Fi não é natural

Há um mês no cargo, a prefeita de Turim já causou algumas polêmicas com seus anúncios. Em seu programa de governo, Appendino aponta até a internet Wi-Fi como perigos. Uma de suas propostas planeja “reduzir o tempo e a qualidade” da internet na escolas, de modo que “garanta a conexão para o que é estritamente necessário”, escreveu.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Gabriel Abílio Gorges

    O populista, sempre que atinge o poder, logo pensa em cortar o direito alheio. Sempre pensa em implantar o seu gosto e às suas idéias. Vá se catar. Avante povo de Turim !

    Curtir

  2. O tendão de Aquiles da democracia é o povo se satisfazer em eleger o próximo ditador. Parece que em todo lugar do mundo algum tolo, eleito pelo povo, acha que tem como tarefa se meter na vida privada dos cidadãos. Quem se aflige com “crueldade no trato dos animais” tem mais que tentar convencer os outros sobre esse problema, em vez de criar leis para obrigar aqueles que discordam a adotar estilos de vida que lhes são estranhos.

    Curtir

  3. Argumentos Veganos

    Está só começando….

    Curtir