Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Pouco antes de encontro com Biden, Bolsonaro cita fraude eleitoral nos EUA

Em entrevista a emissora de TV, presidente disse, sem citar provas, ficar com 'pé atrás' com informações de que ex-presidente Trump estaria 'muito bem'

Por Da Redação Atualizado em 7 jun 2022, 13h43 - Publicado em 7 jun 2022, 13h30

Antes de viajar à Cúpula das Américas, onde terá um encontro com o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, o presidente Jair Bolsonaro voltou a citar nesta terça-feira, 7, uma suposta fraude na eleição que deu vitória ao democrata. Em entrevista ao SBT News, ele disse que “fica com o pé atrás” com as informações de que recebeu e o ex-presidente Donald Trump, derrotado em 2020, estava “muito bem”.

“Quem diz é o povo americano. Eu não vou entrar em detalhes na soberania de outro país. Agora, o Trump estava muito bem. E muita coisa chegou para gente que a gente fica com pé atrás”, disse Bolsonaro. “A gente não quer que aconteça isso no Brasil. Tem informações de próprios brasileiros que teve gente que votou mais de uma vez”.

A nona edição da Cúpula das Américas, que começou na segunda-feira 6 e segue até a sexta-feira, foi idealizada pelos Estados Unidos de maneira a demonstrar a força do país como líder em assuntos relacionados à América Latina, posição negligenciada pelo ex-presidente Donald Trump, que faltou ao evento em 2018.

A cúpula ocorre em um momento crítico para o governo americano, que busca combater a influência da China na região, reparar os relacionamentos danificados por Trump e controlar o fluxo de imigrantes na fronteira sul dos EUA.

As falas de recentes Bolsonaro, por sua vez, podem colocar ainda mais pressão sobre um encontro já visto como difícil. Os dois líderes ainda não tiveram nenhuma reunião bilateral e o Brasil foi o penúltimo país a parabenizar o democrata pela vitória, em 2020.

Pouco antes, o presidente e o deputado federal Eduardo Bolsonaro, seu filho, chegara a citar publicamente supostas fraudes nas eleições americanas, apoiando falsas alegações de Trump, derrotadas inclusive na Suprema Corte dos EUA e pelo secretário de Justiça. Em outro episódio, em meio às falas de Biden de que o Brasil pode sofrer consequências econômicas caso não atue de forma mais firme para combater as queimadas e o desmatamento na Amazônia, Bolsonaro afirmou que “apenas pela diplomacia” não é possível chegar a um consenso.

Apesar das falas, não há evidências ou provas de qualquer fraude no processo eleitoral que resultou na vitória do democrata. Pelo contrário, uma investigação do Departamento de Justiça dos Estados Unidos apontou irregularidades na campanha de Donald Trump nas eleições de 2020. Segundo o relatório, membros do Partido Republicano teriam organizado um esquema com eleitores falsos na Geórgia a fim de reverter a vitória de Joe Biden no estado.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)