Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Por reciprocidade, EUA expulsam três diplomatas venezuelanos

Medida é resposta a Nicolás Maduro, que expulsou três diplomatas americanos

Em resposta à decisão do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, de expulsar três diplomatas americanos, os Estados Unidos anunciaram que também expulsaram três diplomatas venezuelanos, inclusive o encarregado de negócios da Embaixada do país em Washington.

Calixto Ortega, o encarregado de negócios, a segunda secretária da Embaixada venezuelana, Mónica Alejandra Sánchez Morales, e a cônsul em Houston, Marisol Gutiérrez de Almeida, foram declarados “personae non gratae” a partir desta quarta-feira. Eles têm 48 horas para deixar os Estados Unidos, informou a rede CNN.

Leia mais:

Maduro anuncia expulsão de três diplomatas americanos

“É lamentável que o governo venezuelano tenha decidido novamente expulsar diplomatas com base em alegações sem fundamento, o que requer uma ação recíproca. É contraproducente para os interesses dos dois países e não é uma forma séria de se dirigir a política externa de um país”, disse um porta-voz do Departamento de Estado americano à emissora de televisão.

A Casa Branca “rejeita completamente as explicações do governo venezuelano sobre qualquer participação do governo dos EUA em qualquer tipo de conspiração para desestabilizar” o Executivo de Maduro, acrescentou o porta-voz.

‘Yankee, go home’ – Maduro anunciou nesta terça a expulsão da encarregada de negócios dos EUA na Venezuela, Kelly Keirderling; de Elizabeth Hoffman, da seção política, e do vice-cônsul Dave Moo, por terem se reunido com “a extrema direita venezuelana” com a finalidade de apoiar planos de sabotagem e desestabilização.

“Fora da Venezuela. Yankee, go home. Basta de abusos contra a dignidade de uma pátria que quer paz”, bradou Maduro, sem mencionar que os problemas econômicos do país decorrem do sucateamento da indústria, deterioração fiscal, inflação e corrupção que se alastraram com o chavismo.

Em uma entrevista coletiva em Caracas, Kelly rejeitou as acusações do governo venezuelano e assegurou que as operações consulares e comerciais continuarão com normalidade.”Todas as acusações de sabotagem, de conspiração, que nós vamos acabar com o mundo, todas são falsas”, disse Kelly que, junto com os outros diplomatas expulsos, tem até esta quinta para deixar a Venezuela.

(Com agência EFE)