Clique e assine a partir de 9,90/mês

Por engano, Mandela recebe cobrança de contas de água e luz

A Prefeitura de Joanesburgo emitiu uma nota pedindo desculpas pela ameaça de cortar o abastecimento de água e energia da casa do ícone sul-africano

Por Da Redação - 5 ago 2013, 21h27

A Prefeitura de Joanesburgo pediu desculpas nesta segunda-feira ao ex-presidente Nelson Mandela e sua família pelo envio por engano de uma carta de cobrança na qual ameaçava ‘restringir os serviços de abastecimento de água e energia’ caso não fosse paga uma dívida de 6.468,48 rands (o equivalente a 1.512 reais). “A cidade de Joanesburgo confirma que o aviso enviado à residência de Mandela foi entregue erroneamente. O endereço e o número das contas pertencem a outro cliente e outra propriedade de um bairro próximo”, disse o porta-voz da prefeitura Kgamanyane Maphologela.

Leia também:

Tutu pede fim das brigas entre familiares de Mandela

Netas de Mandela tentam capitalizar com aniversário de 95 anos

A notificação, publicada na internet por uma emissora de rádio sul-africana, tinha data de 1º de agosto. O texto alertava que o prazo para quitar a dívida já estava vencido há mais de trinta dias. Se o valor não fosse pago imediatamente, além de restringir os serviços, também haveria a possibilidade do início de uma ação legal. “A prefeitura quer se desculpar perante a família Mandela por qualquer inconveniente causado por esse infeliz ocorrido”, acrescentou Maphologela, citado por agências de notícias locais.

Saiba mais:

Saiba mais: Mandela deu lições de paz e tolerância, mas familiares só fazem brigar

O caso é apenas mais um desgosto entre muitos enfrentados pelo ícone da luta contra o apartheid nos últimos meses. Internado desde junho em um hospital em Pretória devido a uma infecção pulmonar, ele acompanha as disputas familiares sobre a divisão de seu patrimônio, sobre o uso político de sua imagem e até sobre o lugar onde ele seria enterrado. No primeiro dia de internação, os fatos pareciam conspirar para tirar sua tranquilidade. Quando precisou ser levado de sua casa em Joanesburgo ao hospital em Pretória, a 50 quilômetros de distância, nas primeiras horas da manhã de 8 de junho, a ambulância quebrou e ficou quarenta minutos empacada na rodovia até que uma reserva fosse enviada. A temperatura externa era de apenas 6 graus, e Mandela teve uma parada cardíaca, obrigando a equipe médica a uma manobra de ressuscitação. De acordo com a última nota oficial da Presidência da África do Sul, o estado de saúde de Mandela, que completou 95 anos no hospital, é crítico, mas estável.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade