Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Político pró-Brexit Nigel Farage renuncia liderança do UKIP

O político ficou dez anos na liderança do partido ultranacionalista e decidiu se afastar para "recuperar sua vida", após a vitória do Brexit

O político Nigel Farage, um dos protagonistas da campanha vitoriosa para a saída do Reino Unido da União Europeia (UE), anunciou nesta segunda-feira sua renúncia como líder do Partido para a Independência do Reino Unido (UKIP, na sigla em inglês), depois de alcançar o grande objetivo político de sua vida.

“A vitória da campanha pela saída (da UE) no referendo quer dizer que minha ambição política foi atingida”, afirmou Farage em uma entrevista coletiva em Londres. “Vim para este combate a partir do mundo dos negócios porque queria que fôssemos uma nação que governa a si mesma, não para virar um político de carreira”, disse o líder do partido anti-UE e anti-imigração.

Leia também:

Como uma traição fez Boris Johnson desistir de ser premiê britânico

Brexit: Quem ganha e quem perde com a saída do Reino Unido da UE

Argumentos a favor do Brexit começam a virar pó

Farage assumiu o comando do UKIP em 2006 e, desde então, renunciou à liderança duas vezes, em 2009 e 2015, mas acabou voltando atrás. Desta vez ele prometeu que não irá mudar de ideia. “Durante a campanha para o referendo, tinha dito que queria recuperar meu país. O que estou dizendo hoje é que quero recuperar minha vida “, justificou.

Em relação ao novo primeiro-ministro do Reino Unido, que substituirá David Cameron após a renúncia, a principal figura do UKIP declarou que o país precisa de um “premiê Brexit”, ou seja, um apoiador da saída. Farage afirmou também que não irá apoiar nenhum candidato em particular para substituí-lo como líder do partido: “Que o melhor homem ou mulher ganhe”, comentou. “O UKIP está em boa posição e continuará, com meu pleno apoio, atraindo um voto significativo”, acrescentou o britânico.

(Com AFP)