Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Policial morre e outros seis ficam feridos em tiroteio na Carolina do Sul

Homem que fazia crianças reféns em uma casa disparou contra as forças de segurança; agressor foi preso

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 20h08 - Publicado em 4 out 2018, 10h25

Pelo menos um policial morreu e outros seis ficaram feridos nesta quarta-feira (3) em uma troca de tiros com um homem que fazia crianças reféns em uma casa na cidade de Florence, no estado da Carolina do Sul, nos Estados Unidos.

Após três oficiais serem baleados pelo criminoso ao cercarem a residência, outros quatro que haviam reforçado o contingente também foram atingidos. Um deles morreu, segundo o major Mike Nunn, do Departamento do Xerife regional.

O homem com quem os agentes trocaram tiros foi preso, mas nenhum outro detalhe sobre ele ou sobre os motivos do crime foi divulgado. Uma das pessoas mantidas como refém dentro da casa, um jovem de 20 anos, também se feriu durante o tiroteio.

O episódio foi um dos tiroteios protagonizados pela polícia americana mais sangrento dos últimos anos.

  • Segundo o xerife do condado de Florence, Kenney Boone, os policiais foram orientados a ir até a casa executar um mandado de prisão convencional. Porém, ao chegarem no local foram surpreendidos pelos tiros.

    “Quero que orem pela família que perdeu o mais corajoso policial que eu conheci”, disse o chefe da polícia da cidade, Allen Heidler, sem esconder as lágrimas, à imprensa local.

    O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, lamentou o caso no Twitter e manifestou apoio aos policiais da região.

    Continua após a publicidade

    “Meus pensamentos e orações estão com o Escritório do Xerife do Condado de Florence e com o Departamento de Polícia de Florence nesta noite, na Carolina do Sul. Seremos sempre gratos pelo que nossos Oficiais da Aplicação da Lei fazem 24 horas por dia, 7 dias da semana e 365 dias por ano”, afirmou.

    O governador da Carolina do Sul, Henry McMaster, também foi à rede social para prestar solidariedade aos agentes.

    “Esta é simplesmente uma notícia devastadora vinda de Florence. Os atos altruístas de bravura dos homens e mulheres agentes da lei são reais, assim como o poder da oração é real”, declarou.

    (Com EFE)

    Continua após a publicidade
    Publicidade