Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Policiais belgas fizeram orgia em delegacia durante alerta máximo de segurança

Segundo a imprensa belga, ao menos oitos soldados e duas policiais mulheres participaram da farra sexual na delegacia, que também contou com prostitutas contratadas

Por Da Redação 30 dez 2015, 13h03

Vários militares e policiais belgas participaram de uma orgia em uma delegacia de polícia durante o período em que a capital Bruxelas esteve em alerta máximo por risco de atentado terrorista. Ao menos oito soldados e duas mulheres policiais participaram da orgia na delegacia do distrito de Ganshoren, situada a poucos minutos de Molenbeek, onde ocorreram várias batidas policiais, segundo publicaram nesta quarta-feira os jornais De Standaard e La Dernière Heure. A imprensa também informou que prostitutas contratadas teriam participado da orgia na delegacia.

Entre 21 e 26 de novembro, menos de duas semanas depois dos atentados de Paris, a delegacia de Ganshoren serviu de quartel improvisado para entre soldados que patrulhavam a capital belga, segundo declarações de um porta-voz da polícia belga ouvido pelo jornal De Morgen. O porta-voz confirmou que já há uma investigação interna para esclarecer o ocorrido. O Exército belga já sofreu críticas pela conduta dos soldados durante o período de alerta máximo, quando um militar de uniforme foi fotografado fazendo compras enquanto patrulhava Bruxelas.

Leia também

Bélgica detém dois suspeitos de planejar atentados no Ano Novo

Polícia da Bélgica prende nono suspeito de ataques em Paris

Bélgica procura suspeito de fabricar coletes explosivos usados por terroristas em Paris

Também receberam críticas os reis Filipe e Matilde de Bélgica por estarem de férias em um balneário quando o governo decidiu elevar o alerta por risco de atentado terrorista ao nível máximo. Por causa dos atentados de 13 de novembro em Paris, a ameaça terrorista pesa sobre a Bélgica. Foi lá que foram organizados os ataques e onde vivia, entre outros suspeitos, o terrorista mais procurado atualmente no mundo, Salah Abdeslam – acusado de ter coordenado as ações do lado de fora da casa de shows Bataclan, na capital francesa.

A polícia belga deteve ontem duas pessoas suspeitas de planejar um atentado durante as celebrações de fim de ano em vários lugares emblemáticos de Bruxelas. Já o nível de alerta em Bruxelas por risco de atentado terrorista é atualmente “3”, um abaixo do grau máximo, e o desdobramento militar continua na capital e em alguns pontos estratégicos do interior do país.

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade