Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Polícia teme que suspeito de assassinato macabro tenha saído do Canadá

Toronto (Canadá), 31 mai (EFE).- A Interpol se uniu na caça de Luka Rocco Magnotta, suspeito de assassinar um homem em Montreal e enviar partes de seu corpo a partidos políticos canadenses, diante do temor do procurado ter saído do Canadá.

Dessa forma, a organização internacional de Polícia se une à operação policial iniciada na última quarta no Canadá para a captura do ator pornô de 29 anos, depois da localização de um tronco do corpo em Montreal e de um pé e uma mão em Ottawa.

No entanto, a Polícia de Montreal disse que suspeita que Magnotta pode ter abandonado o Canadá. À televisão pública canadense ‘CBC’, o porta-voz da Polícia, Ian Lafrenière, disse que Magnotta publicou uma carta na internet na qual menciona como desaparecer para sempre. ‘Nossa investigação também revelou alguns detalhes que nos fazem pensar que ele pode estar fora do país’, disse Lafrenière.

A Polícia informou que Magnotta foi visto pela última vez há três dias e que o assassinato pode ter ocorrido na sexta-feira passada. A Polícia não revelou a identidade do falecido, mas disse que tanto o suposto assassino como a vítima se conheciam.

Essa história macabra iniciou na última terça-feira, quando uma trabalhadora do Partido Conservador do Canadá abriu um pacote dos Correios postal enviado à sede da formação política e encontrou um pé ensanguentado.

Quase ao mesmo tempo, um zelador de um edifício de Montreal descobriu o tronco de um corpo de um homem em uma mala deixada junto ao lixo. Horas depois, utilizando o pacote enviado ao Partido Conservador para rastrear outros envios, a Polícia de Ottawa descobriu no escritório central dos correios uma mão amputada.

Segundo a Polícia, o segundo pacote estava destinado ao Partido Liberal do Canadá, o terceiro grupo político do país. Ainda não foram localizadas todas as partes do corpo da vítima. EFE