Clique e assine a partir de 9,90/mês

Polícia procura dois desaparecidos após explosão em Nova York

Um dos desaparecidos estava almoçando no restaurante japonês onde ocorreu a explosão. Prefeito Bill de Blasio disse que vazamento de gás pode ter provocado o acidente

Por Da Redação - 27 mar 2015, 12h52

Duas pessoas ainda estão desaparecidas nesta sexta-feira por causa de uma violenta explosão que destruiu quatro prédios em Nova York e deixou dezenove feridos, informou a polícia. O acidente, ocorrido na tarde de quinta-feira, abalou o bairro de East Village, em Manhattan, causando o incêndio e colapso de dois prédios. Dois edifícios adjacentes também foram atingidos pelo fogo e tiveram de ser evacuados pelos bombeiros.

Vítimas ensanguentadas fugiram correndo dos prédios danificados e moradores desceram pelas saídas de incêndio, ajudados por pedestres, enquanto as chamas aumentavam. A explosão aparentemente foi provocada por um vazamento nas tubulações de gás, disse o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, em entrevista coletiva.

Leia também

Sobe para 19 o número de feridos em incêndio em NY

Explosão em prédio de Nova York deixa prédios em chamas

Um dos desaparecidos foi identificado pela mídia local como Nicholas Figueroa, de 23 anos, cuja família disse que estava almoçando com um colega de trabalho no restaurante de comida japonesa onde a explosão aconteceu. A família dele disse ao jornal The New York Times que um demonstrativo do banco mostrou que o jovem usou o cartão de débito para pagar a conta no restaurante. Seu colega de trabalho foi hospitalizado com ferimentos. Ainda não se sabe a identidade da segunda pessoa que está desaparecida e as autoridades suspeitam que possa estar no local da tragédia. Aparentemente, trata-se de um ajudante do restaurante onde ocorreu a explosão.

Os bombeiros vasculhavam os destroços do edifício, que ainda queimavam na manhã desta sexta-feira, segundo um porta-voz do Corpo de Bombeiros de Nova York. Das dezenove pessoas feridas, quatro estavam em estado grave, informaram as autoridades. O acidente aconteceu pouco mais de um ano após uma explosão de gás que fez com que dois prédios residenciais caíssem no East Harlem, matando oito pessoas e ferindo dezenas.

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade