Clique e assine a partir de 9,90/mês

Polícia oferece recompensa milionária por informações sobre roubo de museu

Assalto ao Museu Green Vault em Dresden, na Alemanha, pode ter levado a perda de mais de 1 bilhão de euros

Por Da Redação - 28 nov 2019, 17h57

A polícia da Alemanha ofereceu uma recompensa de meio milhão de euros nesta quinta-feira, 28, por pistas que ajudem a encontrar ladrões misteriosos que invadiram um museu de Dresden e fugiram com joias do século 18, em um dos maiores assaltos do país.

O ataque ao Museu Green Vault, que possui uma das maiores coleções de tesouros da Europa, na segunda-feira 25, deixou os investigadores desconcertados. Segundo o jornal Bild, a polícia calcula a perda em mais de 1 bilhão de euros.

“Não vamos parar até resolver este caso”, disseram o chefe da polícia da Saxônia, Horst Kretzschmar, e o promotor Klaus Roevekamp em comunicado.

“Ao oferecer uma recompensa de meio milhão de euros por pistas que levem à captura dos agressores que invadiram o Green Vault em Dresden na segunda-feira, os investigadores estão dando um passo importante para recuperar os itens roubados e capturar os responsáveis”, acrescentaram.

O roubo aconteceu às 5h (horário local e 1h de Brasília), quando os seguranças do museu alertaram para a presença de estranhos. Cerca de 10 minutos depois, a polícia recebeu um aviso de corte de luz na região, causado pelo incêndio em uma subestação de energia.

A paralisação no fornecimento de eletricidade deixou o museu sem luz, situação que foi aproveitada por pelo menos dois ladrões, que entraram no local por uma janela e, provavelmente, cortando uma cerca.

Continua após a publicidade

Imagens das câmeras de segurança mostraram dois homens quebrando um armário contendo joias com um martelo. Os seguranças viram o incidente e ligaram rapidamente para a polícia, que chegou cinco minutos depois, mas já era tarde demais.

A maioria dos especialistas diz que o valor cultural do que foi roubado é maior que o valor de mercado. Eles temem que as peças seja quebradas e vendidas em pedaços menores.

As primeiras informações são de que pelo menos três coleções de peças feitas com diamantes e outras pedras preciosas tenham sido roubadas. Cada uma das coleções é composta de 37 itens. Além de joias, há taças, estatuetas e outros ornamentos.

A polícia também disse que o número de funcionários trabalhando no caso aumentou para 40 e que as investigações estavam sendo conduzidas pelo ramo do crime organizado de promotores estaduais da Saxônia.

Na terça-feira 26, foram identificados os destroços de um Audi A6 que teria sido utilizado na fuga dos criminosos do museu e, posteriormente, foi incendiado.

(Com Reuters e EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade