Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Polícia investiga ataque de mascarado em escola sueca como crime racista

A imprensa sueca identificou o agressor como Anton Lundin-Petterson, de 21 anos, e informou que ele simpatizava com grupos de ideologia nazista e anti-imigração

Por Da Redação 23 out 2015, 08h01

A polícia da Suécia investiga nesta sexta-feira o ataque de um mascarado com uma espada em uma escola em Trollhattan, no sudoeste do país, como um crime com motivação racista. O incidente deixou três pessoas mortas – o agressor, um professor e um aluno de 11 anos que foram atacados. “Constatamos que se trata de um crime de ódio com conotação racista. Sabemos a partir das declarações das testemunhas que o agressor escolheu as vítimas por sua origem étnica”, declarou à televisão pública SVT Niklas Hallgren, chefe da investigação policial.

Para sustentar essa teoria a polícia se apoia também em vários indícios encontrados em seu apartamento, que não foram especificados; e em sua vestimenta – o jovem de 21 anos com a espada usava um capacete similar ao dos soldados nazistas na II Guerra Mundial. A imprensa sueca identificou o agressor como Anton Lundin-Petterson e informou que ele simpatizava com grupos de ideologia nazista e anti-imigração.

Leia também

Ataque com espada em escola na Suécia deixa um aluno e um professor mortos

Hipsters são confundidos com terroristas na Suécia

Duas pessoas são mortas em um ataque com faca em loja na Suécia

Lundin-Petterson era residente de Trollhattan e recentemente publicou em sua conta no YouTube vídeos de um blogueiro neofascista sueco e filmes que glorificam Adolf Hitler e a Alemanha nazista. Em seu perfil da rede social Facebook apoiou, além disso, a campanha do ultradireitista Democratas da Suécia por um referendo contra a imigração. A escola de Kronan, onde aconteceu o ataque, conta com muitos alunos de origem estrangeira.

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade