Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Polícia francesa prende suspeito de esfaquear soldado

Homem de 22 anos foi detido perto de Paris. Polícia crê em ato terrorista

Por Da Redação 29 Maio 2013, 03h54

A polícia francesa prendeu nesta quarta-feira um suspeito do ataque a um soldado de patrulha esfaqueado no pescoço, sábado passado, perto de Paris. A prisão foi confirmada pelo ministro do Interior, Manuel Valls. O homem, segundo a imprensa local, tem 22 anos e foi detido em La Verriere, a 45 quilômetros da capital. De acordo com agências de notícias, o suspeito foi localizado a partir do DNA encontrado na cena do crime.

Leia também:

Ataque a soldado pode ser ato terrorista, diz ministro francês

O caso é investigado por agentes do departamento antiterrorismo da polícia francesa – segundo eles, o soldado Cedric Cordier, de 23 anos, foi atacado por causa de sua profissão. Cordier patrulhava uma região comercial a oeste de Paris quando foi abordado por trás e atingido por um objeto cortante. De acordo com o presidente François Hollande, o soldado estava acompanhado de dois homens e patrulhava a região como parte do plano de vigilância antiterrorista francês “Vigipirate”. Hollande comentou o esfaqueamento durante viagem à Etiópia no final de semana e disse que a polícia procurava pistas do homem que atacou o soldado.

Cordier perdeu uma quantidade considerável de sangue, mas se recupera. Pouco depois do ataque, o jornal francês Le Parisien citou uma fonte policial segundo a qual o suspeito era um norte-africano de barba e cerca de 30 anos. Ele estaria usando uma vestimenta de estilo árabe sob o casaco – nenhuma descrição foi dada pela polícia após a prisão, mas imagens do suspeito sob custódia mostram um homem de barba sendo levado por um policial.

A França está em alerta contra ataques de militantes islâmicos desde sua intervenção militar no Mali em janeiro, que desencadeou ameaças contra alvos franceses da parte da AQIM, o braço norte-africano da Al Qaeda.

Londres – O ataque contra o soldado francês ocorreu dias depois do assassinato de um soldado britânico em uma rua de Londres. Ele foi morto por dois homens que disseram agir para vingar a violência contra muçulmanos. O amigo de um dos terroristas responsáveis pela morte brutal de um soldado britânico em Woolwich foi preso na noite de sexta-feira passada por agentes de contraterrorismo.

Abu Nusaybah foi detido logo após afirmar em uma entrevista para a rede de televisão BBC que o serviço de inteligência do país (MI5) tentou “recrutar” Michael Adebolajo como informante seis meses antes do atentado.

(Com agência France-Presse e Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade