Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Polícia espanhola apreende drones usados para tráfico de drogas

De acordo com os policiais, os drones tinham capacidade para transportar até 200 quilos de drogas cada

Por Matheus Deccache 4 jul 2022, 17h18

A polícia da Espanha capturou nesta segunda-feira, 4, uma gangue que estava usando drones semi-submersíveis com capacidade para transportar até 200 quilos de droga cada pelo Estreito de Gibraltar. A Polícia Nacional prendeu oito pessoas nas cidades de Cádiz, Málaga e Barcelona e disse que esta foi a primeira vez que drones submarinos foram utilizados para contrabando de drogas.

“Três veículos submarinos não tripulados foram recuperados, um deles quase concluído e dois ainda em construção. Eles deveriam ser entregues a narcotraficantes franceses para serem usados ​​no transporte de quantidades significativas de cocaína”, disse a polícia em comunicado. 

A operação apreendeu 153 quilos de maconha, 157.000 euros em dinheiro e outros seis grandes drones aéreos que poderiam cobrir uma distância de 30 quilômetros. De acordo com comunicado da Polícia Nacional, embora a gangue fosse especializada na construção de fundos falsos de barcos e compartimentos de armazenamento ocultos para carros e trailers, eles também tinham uma frente na construção e uso de drones marinhos. 

+ Rússia usa ‘drones kamikaze’ para devastar cidades ucranianas

Eles estavam fabricando drones grandes e não tripulados com enormes capacidades de carga, o que significava que podiam transportar uma carga entre 150 kg e 200 kg. Entre outros usos, esse equipamento permitiria que traficantes de drogas transportassem grandes quantidades do produto pelo estreito de Gibraltar por controle remoto”, diz a nota. 

A investigação, que teve duração de 14 meses e contou com a ajuda da polícia francesa, apontou que a organização criminosa fornecia ajuda logística a clientes espalhados pela Europa como Itália, França e Dinamarca, bem como quadrilhas espalhadas por toda a Espanha. 

Em fevereiro, cinco espanhóis e dois equatorianos foram presos após tentativa de contrabandear mais de três mil quilos de cocaína através do Brasil em direção ao continente europeu em um “narco-submarino” caseiro e semi-submersível.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)