Clique e assine a partir de 8,90/mês

Polícia espanhola ainda busca motorista da van usada no ataque

Quatro pessoas que guardam alguma relação com o atentado estão presas no momento, enquanto outras três já foram identificadas e são procuradas

Por Da redação - 18 ago 2017, 23h19

O motorista da van que atropelou uma multidão em Barcelona na quinta-feira, matando 13 pessoas, pode estar vivo e em fuga, informou a polícia espanhola nesta sexta-feira, negando relatos anteriores da imprensa de que ele foi morto a tiros em uma cidade litorânea catalã.

Josep Lluís Trapero, chefe de polícia da região da Catalunha, disse que não poderia confirmar que o motorista era um dos cinco homens mortos em Cambrils na madrugada desta sexta-feira. “Ainda é uma possibilidade, mas, ao contrário de quatro horas atrás, está perdendo peso”, disse ele a uma TV regional.

Segundo as informações da polícia, quatro pessoas que guardam alguma relação com o atentado estão presas no momento, três marroquinos e um espanhol nascido no encrave de Melilla. Nenhuma delas têm antecedentes relacionados com o terrorismo. Outros três suspeitos são procurados atualmente, entre eles o jovem marroquino de 22 anos, Younes Abouyaaqoub.

Abouyaaqoub estava entre os suspeitos cuja foto foi liberada pelas autoridades na manhã desta sexta e é apontado como um dos principais suspeitos ainda soltos. A imprensa espanhola especula que o marroquino poderia ser o condutor da van que matou 13 pessoas na La Rambla, porém a informação não foi confirmada oficialmente.

Suspeitos mortos – A polícia catalã também confirmou a morte de cinco terroristas envolvidos nos ataques dos últimos dias em Barcelona e nas proximidades da cidade. Eles foram mortos à tiros pelos oficiais em Cambrils, durante uma segunda tentativa de atropelamento em massa.

Moussa Oukabir, 17, Mohamed Hychami, 24 e Said Aallaa, 18 estão entre os suspeitos abatidos. Os três têm nacionalidade marroquina. Moussa é irmão de Driss Oukabir, o homem cuja foto foi divulgada pela polícia na quinta-feira como principal suspeito do atentado, mas que logo se apresentou à polícia desmentindo as acusações. Ainda não se sabe se Driss está entre os quatro detidos pela polícia.

Vítimas – As primeiras vítimas dos atentados começaram a ser identificadas nesta sexta-feira. Entre as catorze vítimas fatais, estavam três espanhóis, dois italianos, um belga, três alemães e uma portuguesa. Um dos mortos espanhóis é um menino de 3 anos, que passeava pela La Rambla com seu tio, Francisco López, que também faleceu.

Uma criança australiana de sete anos, identificada como Julian Cadman, está desaparecida desde que se separou da mãe, ferida no atentado. A família afirmou que o pai do menino, partiu de Sidney, na Austrália, rumo à Espanha para tentar encontrá-lo.

Continua após a publicidade
Publicidade