Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Polícia detém suspeitos de ligação com massacre na Tunísia

"Vamos achar todos os envolvidos", disse o ministro do Interior tunisiano, Mohamed Gharsalli

O ministro do Interior da Tunísia, Mohamed Najem Gharsalli, disse que “várias pessoas” foram detidas suspeitas de terem participado do atentado que matou 38 pessoas em um resort na praia em Sousse, na última sexta-feira. Sem dar números, Gharsalli disse nesta segunda-feira que todas as pessoas que foram detidas são tunisianas. O terrorista Saifedine Rezgui , um estudante de engenharia de 23 anos, foi morto pela polícia após o massacre. Autoridades tunisinas disseram que ele estava sozinho quando fez o ataque, mas ele tinha cúmplices que lhe forneceram armas e apoio logístico.

Leia também

Tunísia terá mil policiais armados em zonas turísticas

Imagens mostram autor de atentado na Tunísia caminhando com fuzil na praia

Gharsalli não deu mais detalhes, mas disse que as autoridades ainda estão verificando se o agressor treinou em acampamentos jihadistas na Líbia. “Vamos achar todos os envolvidos”, disse o ministro, ao lado de ministros da Grã-Bretanha, França e Alemanha. O número de britânicos confirmados como mortos pelo atirador no ataque subiu de quinze para dezoito, e o total deve aumentar para 30 pessoas, segundo uma porta-voz britânica.

Vítima alemã – O Ministério de Relações Exteriores da Alemanha informou nesta segunda que foi identificado o corpo de uma segunda vítima alemã no atentado em Sousse. Segundo disse um porta-voz do Ministério, neste momento não há indícios de que possa haver mais mortos de nacionalidade alemã entre os 38 mortos. Uma turista alemã também ficou ferida durante o ataque, mas está fora de risco.

(Da redação)