Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Planos de ataque da Al-Qaeda incluem principais cidades da França, Reino Unido e Alemanha

Agências de inteligência ocidentais afirmam ter detectado um suposto complô da Al-Qaeda para realizar ataques contra cidades do Reino Unido, Alemanha e França.

Segundo a rede britânica BBC, os jihadistas planejam sequestrar cidadãos ocidentais e assassiná-los em ataques semelhantes aos que aconteceram em dois hotéis na cidade indiana de Mumbai.

O suposto complô está em fase inicial. Não há previsão de prisões iminentes de suspeitos nem elevação do alerta terrorista na Grã-Bretanha, que está no nível “grave”, o que significa que um ataque terrorista é “muito provável”.

As agências de inteligência europeias e norte-americanas investigam, segundo a emissora, um dos planos terroristas mais sérios dos últimos anos.

O suposto plano seria arquitetado pelos dirigentes da Al-Qaeda nas áreas ocultas em zonas tribais do Paquistão e se basearia na utilização de pequenas equipes de terroristas fortemente armados.

As agências ocidentais acreditam que o plano deixou de ser uma simples ideia e chegou a uma fase de preparação e embora não se saiba exatamente em quais locais os terroristas atacariam, acredita-se que seriam edifícios muito conhecidos.

O jornal britânico The Times afirma nesta quarta-feira que já tinha informações sobre o plano terrorista há algum tempo, mas decidiu não publicar nenhuma informação para não dificultar os trabalhos dos serviços de segurança ocidentais.

Segundo o americano The Wall Street Journal, a CIA (agência americana de Inteligência) aumentou seus ataques com mísseis contra alvos talibãs no Paquistão para tentar conter esses supostos ataques da Al-Qaeda.

Funcionários americanos disseram ao The New York Times que só este mês foram realizados 20 ataques com mísseis Predator, mais que o dobro da média mensal.

A França teve nível máximo de alerta nos últimos dias, depois que seus serviços de segurança receberam informações sobre terroristas islâmicos que preparavam um ataque iminente em seu território.

Os alertas começaram depois que um grupo dirigido pela Al-Qaeda no Magrebe Islâmico (AQMI) sequestrou cinco cidadãos franceses nas minas de urânio de Arlit, no Níger, há duas semanas.

A secretária de Segurança Interna dos Estados, Janet Napolitano, advertiu na semana passada de que o Ocidente enfrenta “um aumento da atividade” de grupos terroristas filiados à Al-Qaeda e que poderiam realizar ataques com “armas pequenas”.

(com Agência EFE)