Clique e assine a partir de 8,90/mês

Piñera diz que desafios do planeta exigem cooperação de todos os países

Por Da Redação - 20 jun 2012, 20h35

Rio de Janeiro, 20 jun (EFE).- O presidente do Chile, Sebastián Piñera, afirmou nesta quarta-feira que a solução dos problemas do planeta e a promoção do desenvolvimento sustentável exigem mais do que nunca a união e a cooperação de todos os países.

Os graves problemas da atualidade ‘não podem ser enfrentados por um só país, por mais poderoso que seja, pois exigem que atuemos unidos e em coordenação’, disse Piñera no discurso que fez na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), que foi aberta hoje no Rio de Janeiro.

‘Na união está nossa força, e na divisão nossa fraqueza’, afirmou.

O governant declarou que para promover o desenvolvimento sustentável no planeta é de ‘vital importância’ uma maior unidade dos países, uma cooperação internacional mais intensa e um marco institucional internacional mais forte.

Piñera aproveitou seu pronunciamento aos cerca de cem chefes de Estado e de Governo que participam da Rio+20 para reafirmar, como líder do Chile e como presidente interino da Comunidade de Nações da América Latina e do Caribe, o compromisso da região com o desenvolvimento sustentável.

Ele alertou, no entanto, que o compromisso dos governantes de estimular uma economia verde a partir da Rio+20 não pode se transformar em uma desculpa para uma nova forma de protecionismo comercial.

Segundo Piñera, a Conferência do Rio de Janeiro é a oportunidade ideal para manifestar o compromisso com o desenvolvimento sustentável não só com palavras e intenções, mas também com ações.

‘Para que o desenvolvimento seja realmente sustentável, temos que compatibilizar melhor seus três pilares: estimular o crescimento econômico com geração social, a inclusão social com eliminação da pobreza e uma nova posição mais respeitosa em relação à natureza’, assegurou.

Para o chefe de Estado do Chile, se o rumo atual do desenvolvimento não for modificado, é provável que muitas espécies deixem de existir, assim como vários ecossistemas. EFE

Continua após a publicidade
Publicidade