Clique e assine a partir de 9,90/mês

Piñera assegura que Governo não persegue nenhum grupo por onda de incêndios

Por Da Redação - 13 jan 2012, 20h01

Santiago do Chile, 13 jan (EFE).- O presidente do Chile, Sebastián Piñera, assegurou nesta sexta-feira na localidade de Carahue, no sul do país, onde na semana passada morreram sete bombeiros que combatiam um incêndio, aparentemente intencional, que seu Governo ‘não persegue nenhum grupo nem área determinada’.

‘Alguns dos incêndios foram causados por negligência ou irresponsabilidade, outros pela natureza, mas temos a convicção de que alguns dos incêndios foi obra da maldade e do dano que essas pessoas perversas causam, que não tremem perante nada’, acrescentou o presidente.

Piñera assinalou que os fatos foram de tal magnitude que seu Governo além de acompanhar e se solidarizar com os familiares das vítimas ‘tem o dever e a responsabilidade de perseguir aos responsáveis. E isso é o que estivemos fazendo’, disse.

Na terça-feira passada, a Coordenadora Arauco Malleco (CAM), assinalada pelo Governo como responsável pelo incêndio florestal que custou a vida dos trabalhadores, negou as acusações e as qualificou de ‘uma montagem’ para justificar a aplicação da lei antiterrorista contra si.

No fato, que consumiu milhares de hectares de Florestas em Carahue, cerca de 700 quilômetros ao sul de Santiago, na região da Araucanía, morreram sete membros de uma brigada contra incêndios que foram apanhados pelo fogo e outros dois permanecem ainda hospitalizados, com diversas queimaduras.

A onda de incêndios que desde o princípio do ano afetou o centro e sul do Chile arrasou mais de 55 mil hectares, deixou um total de nove vítimas fatais e mais de uma centena de casas destruídas. EFE

Continua após a publicidade
Publicidade