Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Piloto de Boeing revela que não via pista antes de acidente

Nariz do avião estava inclinado demais na hora do pouso em São Francisco

Por Da Redação 10 jul 2013, 01h02

Um dos pilotos do Boeing 777 acidentado ao pousar no sábado passado no aeroporto de São Francisco revelou que na hora da aterrissagem o nariz do avião estava tão inclinado que não era possível ver a pista, informou nesta terça-feira a agência que investiga o acidente.

Leia também:

Comissários foram lançados para fora do avião no momento do acidente

O acidente com o voo 214 da companhia sul-coreana Asiana Airlines, que deixou dois mortos e 182 feridos, ocorreu quando a cauda do avião bateu no muro que separa a pista de pouso das águas da Baía de São Francisco. A Agência da Segurança nos Transportes dos Estados Unidos (NTSB, na sigla em inglês), encarregada de investigar as causas do acidente, já estabeleceu que o avião se aproximava da pista em velocidade inferior ao padrão e com altitude muito baixa.

A presidente da NTSB, Deborah Hersman, confirmou que o piloto encarregado do pouso fazia sua “primeira experiência operacional em um 777”. Já o supervisor confirmou que este era seu primeiro voo como piloto instrutor.”Tanto o piloto como o primeiro oficial informaram que não podiam ver a pista porque o nariz do avião estava muito elevado”, destacou Harsman. O primeiro oficial estava sentado em um assento auxiliar atrás do piloto que pousava o avião e do instrutor, revelou a funcionária.

Continua após a publicidade

Assista: Vídeo amador mostra queda do Boeing 777 em São Francisco

Em Seul, a companhia sul-coreana reafirmou que observou estritamente todas as determinações internacionais em matéria de segurança e que os pilotos eram experientes. Na manhã desta terça, o presidente da companhia, Yoon Young-doo, chegou aos Estados Unidos para visitar o local do acidente. Ele também defendeu seus funcionários ao destacar a competência da equipe.

Hersman advertiu na segunda-feira contra qualquer conclusão precipitada e disse que “é muito cedo para inferir que houve erro de pilotagem. Ainda há muita coisa que ignoramos”. A encarregada da NTSB acrescentou que os pilotos ainda não foram submetidos aos testes toxicológicos.

Dos três pilotos presentes na cabine, apenas um foi hospitalizado por fratura na costela. Os outros dois saíram ilesos. Dos 182 feridos, ao menos cinco estão em estado crítico, informou nesta terça-feira o Hospital Geral de São Francisco.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade