Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Peter Fonda defende prisão de filho de Trump em jaula

Indignado com a separação de famílias de imigrantes ilegais na fronteira, ator tuitou mensagem; depois, a apagou e pediu desculpas

Por Da Redação 21 jun 2018, 13h47

Indignado com a separação de famílias de imigrantes ilegais nos Estados Unidos, o ator americano Peter Fonda defendeu a ideia de que o filho caçula do presidente de seu país, Donald Trump, fosse preso em uma jaula com adultos pedófilos. Barron, filho de Trump com a ex-modelo Melania, tem 12 anos.

A sugestão foi publicada na segunda-feira (18) em seu perfil no Twitter. Mas, segundo o portal da revista The Hollywood Reporter, foi apagado posteriormente de sua conta. Em outros postes, Fonda defendera a convocação de protestos contra Trump por sua política de tolerância zero contra as imigrações ilegais.

O Serviço Secreto americano, responsável pela segurança do presidente dos Estados Unidos e de sua família, considerou o texto “ameaçador”. Mas não confirmou se o caso está em investigação.

Protagonista do clássico “Easy Rider” (“Sem Destino”, no Brasil, de 1969), Fonda escreveu, em letras maiúsculas, no Twitter: nós deveríamos arrancar Barron Trump dos braços de sua mãe e colocá-lo em uma jaula com pedófilos”.  Segundo o jornal The New York Times, Fonda, de 78 anos, mencionou ainda querer saber se essa atitude levaria a primeira-dama, Melania Trump, a opor-se a seu marido.

Continua após a publicidade

Melania Trump, de fato, já havia se manifestado, por meio de sua assessoria de imprensa, contra a política de separação de menores de idade de seus pais ou tutores quando presos por tentativa de ingresso ilegal nos Estados Unidos. Sua porta-voz, Stephanie Grisham, informou que o teor do tuíte de Fonda foi considerado “doentio e irresponsável” e que o Serviço Secreto foi notificado.

Na noite de ontem (20), Trump assinou um decreto para acabar com a separação de pais e filhos presos ao tentarem imigrar ilegalmente aos Estados Unidos. A medida, considerada temporária, deverá vigorar enquanto não for aprovado pelo Congresso um projeto de lei sobre a nova política de imigração.

Diante das reações a seu tuíte e da mudança de postura da Casa Branca, Fonda, de 78 anos, pediu desculpas ontem (20). “Eu tuitei algo altamente inadequado e vulgar sobre o presidente e sua família em resposta às imagens devastadoras que eu vi na televisão”, disse o ator, por meio de comunicado.

Fonda e Dennis Hopper em cena do filme “Easy Rider”, de 1969. IMDB/Divulgação

O ator é filho do lendário Henry Fonda (1905-1982) e irmão de Jane Fonda. Foi indicado ao Oscar duas vezes. Durante anos, foi uma das estrelas do movimento de contra-cultura e um ativista contra a Guerra do Vietnã e de causas sociais e de direitos humanos.

 

Continua após a publicidade

Publicidade