Clique e assine a partir de 9,90/mês

Peru detém 18.000 pessoas por violação de distanciamento social

O país registrou 480 casos confirmados e 9 mortes, enquanto o vizinho Chile passou dos 1.000 enfermos nesta quarta-feira, 25

Por Da Redação - Atualizado em 25 mar 2020, 21h12 - Publicado em 25 mar 2020, 20h22

O presidente peruano, Martín Vizcarra, divulgou nesta quarta-feira, 25, que as forças de segurança do país detiveram mais de 18.000 pessoas que descumpriram as medidas de distanciamento social impostas por seu governo em 16 de março para conter o avanço do novo coronavírus (SARS-CoV-2). O Peru reportou apenas 480 casos confirmados, enquanto o vizinho Chile ultrapassou a marca de 1.000 enfermos.

Dentre as 18.476 detenções nos últimos 10 dias, mais de 2.400 ocorreram apenas na terça-feira 24. “Há pessoas que não prestam atenção, não cumprem a medida”, queixara-se Vizcarra na segunda-feira 23.

O Peru conta com o Exército para bloquear as principais vias do país e com a polícia para restringir o movimento dentro das cidades. Além das 18.476 detenções, Vizcarra também informou que o número de delitos diminuiu em 84% durante o estado de emergência.

Com uma população em cerca de 32 millhões, o Peru reportou nove mortes, segundo o jornal peruano El Comercio.

Ao sul, o vizinho Chile com uma taxa de urbanização de quase 90%, mas uma população de apenas 18 milhões — anunciou 220 casos novos apenas na terça-feira. O país contabiliza 1.142 enfermos, segundo o jornal chileno La Tercera, sendo o terceiro país mais atingido pelo novo coronavírus na América do Sul.

Em número de casos no continente, segundo o New York Times, o Chile está atrás apenas do Brasil, com 2.433, e do Equador, 1.173. Os chilenos, porém, reportaram apenas três mortes.

Continua após a publicidade
Publicidade