Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Pentágono quer manter reforços no Afeganistão até 2012

Retirada pode se aproximar das eleições americanas, o que deve ajudar Obama

Por Da Redação - 17 jun 2011, 08h26

A um mês da retirada programada do Afeganistão, as Forças Armadas dos Estados Unidos pediram ao presidente Barack Obama que mantenha tropas adicionais no país até o outono (primavera no Brasil) de 2012, informa o The Wall Street Journal. Isso significaria que importantes reduções de tropas aconteceriam mais perto da eleição presidencial americana de novembro de 2012, o que deve ajudar Obama, que tentará a reeleição.

Os comandantes militares negaram, contudo, que o calendário eleitoral tenha qualquer relação com a proposta. Eles afirmam que estão concentrados em exercer toda a pressão possível sobre os talibãs nas violentas províncias do leste, que fazem fronteira com o Paquistão, especialmente durante os próximos dois verões do hemisfério norte, geralmente o período de combates mais intensos.

Retirada – Obama ordenou o envio de 33.000 soldados adicionais em dezembro de 2009 para conter a crescente ação dos talibãs, o que elevou o total de tropas americanas no Afeganistão a 100.000. O governo dos Estados Unidos planeja deixar apenas uma pequena parcela de suas forças no país após dezembro de 2014, quando a segurança será transferida aos afegãos.

O presidente americano prometeu iniciar a retirada das tropas em julho, mas a Casa Branca ainda não revelou o número de soldados que serão retirados do país, nem especificou uma data. As fontes ouvidas pelo jornal não souberam confirmar se Obama seguirá a recomendação dos militares e mudará seus planos de retirada.

Publicidade

(Com agência France-Presse)

Publicidade