Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Pentágono: caças russos violaram espaço aéreo ucraniano

Sobrevoos ocorreram em meio a escalada de tensões na região fronteiriça

Por Da Redação 25 abr 2014, 20h57

Oficiais do Pentágono afirmaram nesta sexta-feira que aviões militares russos invadiram o espaço aéreo da Ucrânia em diversas ocasiões nas últimas 24 horas. As investidas, de acordo com os americanos, podem ter tido como propósito testar os sistemas de radar ucranianos ou simplesmente fazer uma demonstração de força, destacou a agência Associated Press.

O porta-voz do Pentágono, coronel Steve Warren, pediu para que a Rússia reduza as tensões na fronteira. Ele afirmou que o secretário de Defesa americano, Chuck Hagel, tentou conversar por telefone sobre a crise com o secretário de Defesa da Rússia, Sergei Shoigu, mas Moscou ainda não respondeu à solicitação. Hagel descreveu a movimentação russa ao longo da fronteira como “perigosamente desestabilizadora” e “altamente provocativa”.

Leia também

Putin: Ucrânia pratica ‘crime’ contra rebeldes e terá resposta​

Ucrânia informa a morte de ‘cinco terroristas’ em Slaviansk

Google Maps adapta a crise da Ucrânia ao gosto do freguês

Otan divulga imagens de movimentação militar russa na fronteira com a Ucrânia

Continua após a publicidade

O Pentágono também confirmou relatos russos de que o principal oficial militar dos EUA, o general Martin Dempsey, conversou na quinta-feira por telefone com o general russo Valery Gerasimov, chefe do Estado-Maior, sem dar detalhes sobre a conversa.

Segundo a agência de notícias russa Interfax, Gerasimov teria dito a Dempsey que a Ucrânia havia mobilizado um número substancial de forças perto da fronteira com a Rússia, incluindo tropas, cujo objetivo era fazer sabotagem.

Rapto – Também nesta sexta-feira, em mais um capítulo da escalada da crise, um grupo de sete observadores da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE) foram sequestrados por separatistas pró-Rússia, que também detiveram cinco militares ucranianos e o motorista do ônibus que levava o grupo na cidade de Slovyansk, no leste.

Um integrante do grupo pró-Moscou na cidade disse a jornalistas que havia um “espião” ucraniano entre os observadores. Segundo o governo em Kiev, o grupo foi levado para o prédio da agência de segurança pública na cidade, que está ocupado por rebeldes. “Negociações estão em andamento para a liberação dos capturados”, informou o Ministério do Interior, em comunicado.

Mais cedo, o primeiro-ministro ucraniano, Arseni Yatseniuk, acusou a Rússia de querer iniciar um novo conflito mundial. “As tentativas de agressão do exército russo no território da Ucrânia provocarão um conflito no território da Europa. O mundo não esqueceu a II Guerra Mundial e a Rússia quer iniciar uma terceira”, disse.

Artigo: Contra desintegração da Ucrânia, Ocidente deve ouvir e falar com a Rússia

(Com agência Reuters)

Entenda a atual situação dos conflitos nas cidades ao leste da Ucrânia:

Continua após a publicidade
Publicidade