Clique e assine a partir de 9,90/mês

Pelo menos 12 mortos em atentado contra a Otan no norte do Afeganistão

Por Str - 4 Apr 2012, 17h29

Pelo menos doze pessoas morreram nesta quarta-feira em um atentado suicida reivindicado pelos talibãs contra a força internacional da Otan (Isaf) no norte do Afeganistão, segundo o Exército norueguês, que afirmou que nenhum de seus soldados foi morto.

Mas a Isaf anunciou paralelamente que três de seus militares haviam morrido nesta quarta em uma explosão no norte, negando-se a indicar se se trata ou não de um atentado suicida.

O ataque mencionado por Oslo foi registrado na província de Faryab, uma região onde a maior parte dos soldados da Isaf é norueguesa e não é atacada pela guerrilha dos talibãs.

Os insurgentes reivindicaram o atentado em seu portal na internet Voice of Jihad, afirmando que oito estrangeiros tinham morrido e que seis tinham ficado feridos.

Continua após a publicidade

“Um homem que usava uma jaqueta de terrorista em uma moto cheia de explosivos atacou as forças estrangeiras perto de uma base estrangeira em Maymana”, capital de Faryab, relatou à AFP o tenente Mohamad Ahmadzai, porta-voz da polícia afegã no norte.

O tenente-coronel John Espen Lien, porta-voz do Estado-Maior norueguês, indicou à AFP que o ataque tinha deixado pelo menos 12 mortos. “Mas ainda é um número provisório”, acrescentou, indicando que “nenhum soldado norueguês estava envolvido ou estava nas imediações no momento do atentado”.

O chefe da polícia provincial, Abdul Jaliq Aqasai, indicou à AFP que quatro policiais afegãos tinham morrido e que militares americanos haviam dito a ele que quatro membros da Isaf também tinham sido mortos.

“A explosão foi potente. Matou seis civis e quatro policiais. Vinte pessoas, entre elas quatro policiais, ficaram feridas”, segundo o porta-voz policial, tenente Ahmadzai, que indicou que “não está a par de baixas entre as tropas estrangeiras”.

Continua após a publicidade

Segundo um médico do hospital da cidade, cinco corpos e 26 feridos foram levados para o centro depois do ataque.

Publicidade