Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Pela 1ª vez, Sanders ultrapassa Hillary em uma pesquisa nacional

Pela primeira vez desde o início da corrida eleitoral pela Casa Branca, uma pesquisa mostra o senador por Vermont, Bernie Sanders, na frente da ex-secretária de Estado Hillary Clinton em âmbito nacional. Encomendada pela rede Fox News, a sondagem projeta o pré-candidato autodeclarado socialista com 47% das intenções de voto, contra 44% da ex-primeira-dama. Em janeiro, esse placar era de 49% a 37% a favor de Hillary.

Segundo o levantamento, a ex-secretária perdeu espaço entre as mulheres (caiu 25 pontos) e os brancos (queda de 13 pontos), mas manteve sua força entre os negros. Sanders também teria mais chances de ganhar, de acordo com a sondagem, em um eventual embate com o republicano Donald Trump: 53% a 38%. Já Hillary venceria por 47% a 42%. O senador vem de uma contundente vitória sobre a ex-secretária na primária de New Hampshire, após quase ter empatado com ela no caucus de Iowa, que abriu a corrida eleitoral democrata. Neste sábado, os dois se enfrentam em Nevada, Estado com forte presença latina e onde as pesquisas apontam para uma disputa acirrada.

Leia também

Hillary e Jeb Bush lideram entre eleitores hispânicos, mostra pesquisa

Esperto, Trump evita criticar o papa: “Francisco é maravilhoso”

Obama: ‘Trump não será presidente’

Tido como azarão, Sanders passou a ameaçar a candidatura da então favorita Hillary com um discurso fortemente contrário à concentração de renda no país e à influência de Wall Street na política americana. A ex-secretária tem grupos financeiros como alguns de seus principais doadores, enquanto o senador arrecada a maior parte de seu dinheiro com pessoas físicas.

Entre os pilares de sua campanha estão a universalização do sistema público de saúde, tornar gratuito o ensino universitário, elevar o salário mínimo e aumentar os impostos sobre bilionários e sobre a especulação financeira – esta última proposta seria uma das formas de financiar as anteriores. A pesquisa foi realizada entre 15 e 17 de fevereiro, ouviu 429 eleitores democratas e tem margem de erro de 4,5 pontos percentuais para mais ou para menos.

Leia mais

Quais as próximas etapas da corrida eleitoral dos EUA?

Entenda as eleições primárias americanas

(Com ANSA)