Clique e assine a partir de 8,90/mês

Partido Verde designa Jill Stein como candidata à presidência dos EUA

Por Da Redação - 15 jul 2012, 13h56

O Partido Verde americano designou oficialmente Jill Stein como sua candidata à presidência do país nas eleições de 6 de novembro, em uma convenção nacional realizada em Baltimore (Maryland, nordeste) na noite de sábado.

Stein, pediatra de 62 anos, conquistou 193 votos, derrotando a outra candidata, a popular atriz dos anos 1990 Roseanne Barr -conhecida por seu papel na série “Roseanne”-, que obteve 72 votos e não participou da convenção.

A nova líder verde concorrerá às eleições presidenciais dos Estados Unidos com um programa eleitoral baseado em um sistema de saúde universal, matrículas gratuitas para ter acesso à educação universitária, o perdão da dívida dos estudantes e uma moratória imediata a todas as casas sobre as quais pese uma execução hipotecária.

Também defende um novo pacto ecológico, que criaria milhões de postos de trabalho, e lutaria contra as mudanças climáticas.

“Somos os 99% (da população americana) e este será o ano no qual recuperaremos nosso país”, declarou a candidata aos simpatizantes verdes.

Stein escolheu como candidata à vice-presidência Cheri Honkala, uma mãe solteira de 49 anos que era sem-teto e agora é ativista em comunidades da Filadélfia (Pensilvânia, nordeste) e coordenadora nacional para o movimento Poor People’s Economic Human Rights.

Continua após a publicidade

Juntas tentarão romper o histórico bipartidarismo nos Estados Unidos fazendo campanha em ao menos 45 estados. Um de seus objetivos eleitorais é poder enfrentar o candidato democrata, o presidente Barack Obama, e seu rival republicano, Mitt Romney, em uma série de debates.

“Precisamos de um partido político novo e não comprado que possa colocar as pessoas para trabalhar com integridade”, assegurou Stein.

A líder ecologista é a candidata com mais destaque no Partido Verde desde que o advogado e ativista Ralph Nader optou se candidatou às presidenciais de 1996 e 2000. Mas o partido ecológico sempre se viu prejudicado pelo bipartidarismo americano.

O sistema político “amordaça” a voz dos americanos, denunciou Stein.

“O silêncio não é uma estratégia política efetiva”, assegurou Stein em uma entrevista à AFP antes de pronunciar seu discurso de aceitação.

“As políticas do medo entregaram tudo o que tínhamos medo: as guerras de expansão, a exportação de nossos empregos, a diminuição dos salários, planos maciços de resgate de Wall Street, a deterioração de nosso clima, de nosso sistema de saúde e de nosso sistema educacional”, proclamou Stein.

As vozes das políticas cidadãs “foram apagadas”, completou.

Continua após a publicidade
Publicidade