Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Partido de Peña Nieto vence eleições legislativas marcadas por protestos

Com 29% dos votos, o PRI não obteve maioria absoluta, mas deve conseguir alianças para garantir o maior número de deputados na Câmara. Estados do sul tiveram protestos

Por Da Redação 8 jun 2015, 08h02

O Partido Revolucionário Institucional (PRI) conseguiu manter a maioria simples na Câmara dos Deputados do México nas eleições deste domingo, apesar da queda de popularidade do presidente Enrique Peña Nieto e dos protestos registrados durante a votação. A eleição foi marcada pelas ações de professores e dos pais dos 43 estudantes desaparecidos de Ayotzinapa, que conseguiram bloquear locais de votação. O governo mobilizou uma operação especial de segurança nos Estados de Guerrero e Oaxaca, depois de uma semana de contundentes protestos, e conseguiu respirar depois que menos de 1% dos locais de votação do país foram afetados.

O presidente do Instituto Nacional Eleitoral, Lorenzo Córdova, informou nesta segunda-feira que o PRI venceu a eleição para a Câmara com uma votação entre 29,87% e 30,85% – o resultado final ainda não foi divulgado. O resultado, inferior aos 31,9% das eleições de 2012, ainda permite ao PRI superar o conservador Partido Ação Nacional (PAN), que ficou com entre 21,47% e 22,20% dos votos. O Partido da Revolução Democrática, de esquerda, aparece com pouco mais de 11% dos votos válidos. “A mensagem das urnas é que o governo não foi tão mal nos três anos que está no poder, que não existe tanto descontentamento, porque o PRI se mantém e os outros partidos não crescem”, disse o analista político José Antonio Crespo.

Leia também

Professores saqueiam e queimam urnas em protesto contra eleições no México

México vai às urnas sob a ameaça do narcotráfico e de boicote

O PRI, que governou o México por mais de 70 anos até sua derrota em 2000, ficaria com entre 196 e 203 cadeiras das 500 da Câmara, mas pode garantir a maioria absoluta graças às alianças com o Partido Verde e o Nova Aliança. Peña Nieto sai ileso da eleição, apesar da recente queda de popularidade com os protestos contra o desaparecimento dos estudantes de Ayotzinapa em setembro do ano passado e os vários escândalos em seu governo, incluindo a revelação de que o presidente e sua esposa compraram mansões de empresários de empreiteiras.

O PRI também deve ser o vencedor no estado de Guerrero e em outros quatro estados, enquanto o PAN venceria em dois. Em Michoacán, Estado afetado pelo narcotráfico, a disputa era entre o PRD e o PRI. O candidato independente Jaime Rodríguez “El Bronco” deve ser o vitorioso em Nuevo Léon. “Vai ser um governo cidadão. Nuevo León será o início desta segunda revolução mexicana”, afirmou El Bronco.

Protestos – Manifestantes tentaram bloquear algumas seções eleitorais e queimaram de cédulas de votação no sul do país. Os protestos se concentraram nos conflituosos Estados de Guerrero e Oaxaca, apesar do forte dispositivo de segurança mobilizado pelo governo, com efetivos do Exército e da Polícia Federal. Apesar dos protestos, o Instituto Nacional Eleitoral (INE) – organizador das eleições – informou que 99,95% das urnas foram instaladas para que os 83 milhões de eleitores inscritos pudessem escolher seus 500 deputados, governadores de nove dos 32 estados e quase 900 prefeituras.

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade