Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Parte do acervo arqueológico do museu de Palmira foi preservado na ocupaçao jihadista

Peças de arte do museu haviam sido retiradas e levadas para Damasco antes do EI assumir o controle de Palmira

O grupo jihadista do Estado Islâmico (EI), que esta semana conquistou o controle da cidade histórica de Palmira, também invadiu o museu arqueológico do lugar. A informação foi confirmada pelo ministro sírio Maamun Abdelkarim.

Os terroristas fecharam o museu e quebraram réplicas de gesso que representavam a vida na era pré-histórica. Grande parte dos objetos originais do valioso acervo do museu havia sido retirada e levada para Damasco antes do EI assumir o controle de Palmira.

Nem tudo foi salvo, porém. “Enviamos aos poucos as peças antigas para Damasco, mas há peças enormes, como os sarcófagos, na entrada do museu, que pesam de 3 a 4 toneladas e não puderam ser removidas, infelizmente”, disse Abdelkarim.

Leia também:

Estado Islâmico hasteia bandeira nas ruínas históricas de Palmira

Fotos: As ruínas romanas que estão ameaçadas pelos jihadistas em Palmira

Situada a 210 km ao nordeste de Damasco, Palmira, a “pérola do deserto”, é considerada patrimônio mundial da humanidade pela Unesco. A cidade é reconhecida por suas colunas romanas, templos e torres funerárias.

(Com agência AFP)