Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Parlamentos rivais da Líbia assinam acordo para governo de união nacional

Por Da Redação 17 dez 2015, 14h37

Os representantes dos dois governos líbios rivais até agora assinaram nesta quinta-feira em Sjirat, no Marrocos, o acordo estabelece um governo de união nacional. O acordo, que prevê um governo líbio com um presidente, dois vice-presidentes e outros seis membros, foi alcançado após negociações que concluíram nesta mesma manhã – na quarta-feira, os líderes dos dois parlamentos rivais chegaram a rejeitar o acordo de paz proposto pela Organização das Nações Unidas (ONU).

A assinatura contou com a presença dos ministros de Relações Exteriores da Espanha, Itália, Turquia, Catar, Tunísia e Marrocos, uma amostra do apoio que a comunidade internacional ofereceu a este momento qualificado de “histórico”.

Leia mais:

Líderes de parlamentos rivais da Líbia rejeitam acordo de paz da ONU

Este governo de união nacional, que terá como um de seus vice-presidentes o polêmico Salah Majzun, deverá apresentar um texto de uma nova Constituição, que será votada em referendo pelos líbios.

Os representantes dos Parlamentos rivais de Tobruk e de Trípoli, além de membros da sociedade civil e das cidades presentes no ato, gritavam “Líbia, Líbia, Líbia” no momento da assinatura.

Todos os ministros que intervieram no ato, assim como o representante da ONU para a Líbia, o alemão Martin Kobler, concordaram que hoje foi dado o primeiro passo que necessitará de várias “concessões e compromissos”.

Mas, como destacaram os ministros espanhol José Manuel García Margallo e tunisiano Tayyip Baqush, o governo anunciado nesta quinta-feira para a Líbia “será desde agora o único interlocutor da comunidade internacional”.

(Com EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade