Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Parlamento russo confirma perdão de dívida cubana

Acordo ratificado prevê anulação de 90% dos 35 bilhões de dólares repassados à ilha pela antiga União Soviética durante a Guerra Fria

O Parlamento russo ratificou nesta sexta-feira um acordo assinado com Cuba que anula 90% da dívida de Havana com a extinta União Soviética. O montante chega a 35 bilhões de dólares (cerca de 77 bilhões de reais). O restante, cerca de 3,5 bilhões de dólares, deverá ser pago ao longo de dez anos, mas o documento prevê que os recursos serão reinvestidos na ilha. Os dois países tiveram estreitas relações durante a Guerra Fria, e o regime cubano nunca se recuperou totalmente da perda da ajuda financeira decorrente do desmoronamento da União Soviética.

Leia também:

Colaborador de Che Guevara participa de ‘reestruturação’ na Venezuela

Em Cuba como um ditador: limusines de Fidel são transformadas em táxis

Cayo Piedra, a (outra) ilha particular de Fidel Castro

O perdão acontece no momento em que a Rússia está isolada diplomaticamente por causa do seu envolvimento no conflito da Ucrânia e a anexação da Crimeia. Havana, agradecida pelo gesto russo, já se manifestou a favor da Rússia na questão ucraniana.

Nos últimos anos, Rússia e Cuba ensaiaram uma reaproximação após o distanciamento verificado desde a desintegração do bloco soviético, em 1991. Depois de ser durante três décadas o principal parceiro comercial da ilha, Moscou passou para a atual nona posição, muito atrás de Venezuela, China e Espanha, os três primeiros.

Para reforçar ainda mais a aproximação, Vladimir Putin tem uma visita a Havana agendada para a semana que vem, quando deve se reunir com os irmãos Raúl e Fidel Castro. Também estão previstas visitas ao Brasil e à Argentina. No Brasil, Putin vai participar da cúpula dos Brics, o grupo que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Ele também deve comparecer à cerimônia de encerramento da Copa do Mundo.

(Com agência France-Presse)