Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Paralisação parcial nos EUA pode prosseguir até janeiro

Diretor de orçamento da Casa Branca, Mick Mulvaney, afirmou que paralisação pode durar até novo Congresso assumir

O diretor de orçamento da Casa Branca, Mick Mulvaney, afirmou neste domingo, 23, que é muito provável que a paralisação parcial do governo dos Estados Unidos por falta de financiamento prossiga até janeiro.

“É muito possível que este “shutdown” prossiga além do dia 28 e até o novo Congresso“, afirmou Mulvaney ao canal Fox News. A primeira reunião da nova legislatura está prevista para 3 de janeiro.

A paralisação parcial de algumas agências e departamentos federais, que vigora desde meia-noite de sexta-feira, 21, mantém quase 800 000 funcionários públicos em licença não remunerada ou trabalhando sem receber pagamento, no caso dos serviços considerados essenciais.

As discussões sobre o orçamento federal que buscavam resolver o problema foram adiadas no sábado 22, pelo Congresso até a quinta-feira, 27, ante a impossibilidade de alcançar um acordo sobre os recursos para a construção de um muro na fronteira com o México, uma exigência do presidente Donald Trump.

O presidente, que cancelou as férias de Natal na Flórida em consequência do “shutdown”, insiste na aprovação de seu pedido de 5 bilhões de dólares (19,3 bilhões de reais na cotação atual) para a construção do muro, uma promessa de campanha para reduzir a imigração ilegal que tem a oposição veemente dos democratas.

Sem um acordo entre o Congresso e a Casa Branca, diversas agências federais ficaram sem financiamento. “Isto é o que Washington parece quando você tem um presidente que se recusa a entrar no jogo para ficar bem”, disse Mulvaney.

Trump anuncia Patrick Shanahan como Secretário Interino de Defesa a partir de janeiro

O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou o atual vice-secretário de Defesa, Patrick Shanahan, como Secretário Interino de Defesa a partir de 1° de janeiro de 2019. Em sua conta no Twitter, Trump escreveu que Patrick tem uma longa lista de realizações enquanto foi vice-secretário e anteriormente na Boeing. “Ele será ótimo!”, disse o presidente americano.

A saída em janeiro do atual secretário de Defesa, Jim Mattis, acontecerá quase dois meses antes do que ele havia dito em sua carta de demissão. Na quinta-feira, 20, Mattis renunciou ao cargo de secretário da Defesa, dizendo em carta de demissão entregue pessoalmente ao presidente Trump que ficaria até 28 de fevereiro, “uma data que deve dar tempo suficiente para que um sucessor seja indicado e confirmado”.

(AFP e Estadão Conteúdo)