Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Para proteger-se da China, Taiwan permite mulheres reservistas no exército

Mulheres poderão se voluntariar para treinamento militar da força de reserva pela primeira vez, diz Ministério da Defesa

Por Da Redação
Atualizado em 18 jan 2023, 09h59 - Publicado em 18 jan 2023, 09h58

O Ministério da Defesa de Taiwan anunciou planos na terça-feira 17 para permitir que as mulheres se alistem para o treinamento das forças de reserva pela primeira vez, devido a tensões com a China, que defende que a ilha autogovernada e democrática na verdade faz parte de seu território.

A pasta disse que permitirá que 220 mulheres se inscrevam no treinamento a partir do segundo trimestre deste ano. O major-general Yu Wen-cheng, da Agência de Mobilização de Defesa Total do ministério, afirmou que a mudança seria em caráter experimental, e pode se ampliar a partir do ano que vem.

+ China faz sua maior mobilização aérea contra defesas de Taiwan

Anteriormente, o Ministério da Defesa de Taiwan disse que só treinava reservistas do sexo masculino porque não tinha capacidade para acomodar ambos os sexos. No entanto, legisladores taiwaneses argumentaram que excluir as mulheres equivalia a discriminação de gênero.

Continua após a publicidade

Em dezembro, Taiwan anunciou que estenderá o período de serviço militar obrigatório para todos os homens de quatro meses para um ano a partir de 2024. A exigência se aplicará aos nascidos após 2005.

+ Xi ‘acelerou’ planos da China para anexar Taiwan, dizem EUA

A ilha tem uma força militar de cerca de 170 mil pessoas, composta principalmente por voluntários, enquanto também treina cerca de 120 mil reservistas por ano, de acordo com o CIA World Factbook.

Continua após a publicidade

Homens de 18 a 36 anos precisam se alistar voluntariamente para servir nas forças armadas, ou cumprir um período de serviço obrigatório na reserva. Uma vez liberados, eles estão sujeitos a convocações de treinamento em quatro ocasiões ao longo de oito anos.

+ Taiwan não quer guerra com China, mas soberania é inegociável, diz líder

Em 2021, as mulheres representavam 15% das forças armadas de Taiwan, mas servem principalmente em funções não relacionadas ao combate, segundo o CIA Factbook.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.