Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Para evitar conflito, Baltimore retira estátua na calada da noite

Monumentos ao esquadrão confederado da guerra civil americana são considerados símbolos da defesa da escravidão e do racismo

Por Da redação Atualizado em 16 ago 2017, 16h41 - Publicado em 16 ago 2017, 16h24

A cidade de Baltimore, no leste dos Estados Unidos, retirou na calada da noite seus monumentos ao esquadrão confederado da guerra civil (1861-1865), formado por estados separatistas e favoráveis à escravidão, em meio a um novo debate no país sobre esses símbolos adorados pela ultradireita.

Os quatro monumentos foram retirados discretamente ao longo da madrugada desta quarta-feira, com o objetivo de evitar conflitos como o do último final de semana em Charlottesville, Virgínia, que foi motivado pela disputa em tono da retirada da estátua de Robert E. Lee, um general confederado considerado símbolo da defesa da escravidão e do racismo.

“Já está feito. Tinham que cair. O que me preocupava era a segurança da nossa gente, e por isso atuamos o mais rápido possível”, disse hoje a prefeita de Baltimore, Catherine Pugh, segundo o jornal local The Baltimore Sun.

A câmara municipal da cidade votou a favor de retirar as estátuas na segunda-feira, dois dias após o incidente em Charlottesville, onde dezenas de neonazistas e supremacistas brancos protestaram contra os planos de derrubar o monumento e protagonizaram violentos choques, além de um atropelamento que matou uma mulher e feriu outras 20 pessoas.

As autoridades locais de Baltimore debatiam há mais de um ano sobre o que fazer com os seus monumentos confederados e a decisão de retirá-los foi acelerada pela violência em Charlottesville.

Continua após a publicidade
  • Após o anúncio de que a câmara municipal tinha decidido retirá-los, alguns ativistas de esquerda prometeram derrubá-los antes que a prefeitura pudesse agir, o que fez com que as autoridades decidissem atuar na madrugada. “Não queria pôr em perigo às pessoas da minha própria cidade”, explicou a prefeita de Baltimore.

    O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, apesar de frisar que a decisão cabe às cidades, criticou nesta terça-feira a retirada de estátuas confederadas, e comparou o general Lee com vários dos fundadores e primeiros governantes do país, dado que estes também tinham escravos.

    “Vamos retirar as estátuas de George Washington? E de Thomas Jefferson? O que lhes parece? Porque ele tinha muitos escravos”, disse Trump em uma entrevista coletiva em Nova York.

    Na segunda-feira, um grupo de ativistas derrubou uma estátua confederada em Durham, na Carolina do Norte, e as autoridades de algumas cidades na Flórida, Tennessee e Kentucky planejam retirar também seus monumentos desse tipo.

    (com EFE)

    Continua após a publicidade
    Publicidade