Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Para Coreia do Norte, comédia sobre complô contra Kim Jong-un é “ato de guerra”

Regime comunista promete retaliar de maneira " decisiva e impiedosa", caso filme seja lançado

A Coreia do Norte prometeu nesta quarta-feira retaliar os Estados Unidos por causa da comédia hollywoodiana que fala sobre uma tentativa de assassinato do ditador Kim Jong-un. Sem nenhum senso de humor, o regime comunista quer que o filme seja banido e adverte que não impedir seu lançamento será considerado um “ato de guerra”. “Se a administração dos Estados Unidos tacitamente aprovar ou apoiar o lançamento deste filme, vamos tomar uma contramedida decisiva e impiedosa”, ameaçou um porta-voz do Ministério de Relações Exteriores, em comunicado divulgado pela agência estatal de notícias KCNA.

O comunicado, obviamente, não dá detalhes sobre quais retaliações estão nos planos norte-coreanos. “Os inimigos têm ido muito além do limite tolerável em sua movimentação desprezível para ferir a dignidade do líder supremo”, acrescentou o porta-voz, segundo declarações reproduzidas pela imprensa americana.

Estrelada pela dupla Seth Rogen e James Franco, a comédia The Interview tem seu lançamento previsto para outubro. No filme, Franco interpreta o apresentador de um talk show e Rogen é seu produtor. Ao saber que Kim Jong-un é um fã do programa, eles resolvem viajar a Pyongyang para entrevistá-lo. A CIA fica sabendo dos planos e resolve recrutar os dois para matar o ditador. No trailer da comédia, uma analista da CIA passa informações sobre Kim Jong-un aos encarregados da missão: ‘Vocês estão entrando no país mais perigoso da terra. O povo acredita em qualquer coisa que Kim Jong-un diga, inclusive que ele pode falar com golfinhos e que ele não urina nem defeca”.

Leia também:

Coreia do Norte ‘explode’ Capitólio em vídeo de propaganda

Coreia do Norte: a nova vilã também em Hollywood

Ex-namorada “fuzilada” de Kim Jong-un reaparece na TV norte-coreana

Na vida real, o regime totalitário tenta garantir que a imagem da dinastia Kim seja reverenciada pela população pobre, mas de uma forma nada engraçada. No final do ano passado, uma comissão das Nações Unidas ouviu os relatos de horrores presenciados e vividos por ex-prisioneiros de Pyongyang. Os depoimentos apontaram torturas físicas e psicológicas e execuções públicas nos centros de detenção do país. A Coreia do Norte rejeita as acusações de abusos aos direitos humanos, não reconheceu a investigação e negou acesso de relatores ao país.

As ameaças da Coreia do Norte contra os Estados Unidos são frequentes e se intensificaram depois do terceiro teste nuclear promovido por Pyongyang, em fevereiro de 2013. As tensões entre os países já renderam outros filmes hollywoodianos. Kim Jong-il, falecido pai de Kim Jong-un, já havia “estrelado” a comédia Team America: Detonando o Mundo (2004), dirigida por Trey Parker e Matt Stone, os criadores do desenho politicamente incorreto South Park. No filme, uma marionete representando o norte-coreano financiava a rede terrorista Al Qaeda e outros inimigos dos EUA.

Desta vez, o jornal britânico Daily Telegraph chegou a levantar a hipótese de que Kim Jong-un iria assistir à comédia de James Franco, com base em informação do diretor-executivo do Centro para Paz Coreia do Norte-EUA, Kim Myong-chol. Seth Rogen, que também é co-diretor da película, comemorou em sua página no Twitter: “Parece que Kim Jong-un planeja assistir The Interview. Espero que ele goste!”. A reação oficial do regime, no entanto, diminui as esperanças do ator de que o ditador veja a comédia como puro entretenimento.