Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Para conter avanço de Covid, Bruxelas fecha cafés e bares por um mês

Bélgica passa por forte surto de Covid-19; na última semana, país teve média de 2.500 novos casos diários, aumento de 57% em relação à semana anterior

Por Da Redação
7 out 2020, 14h45

A cidade de Bruxelas determinou nesta quarta-feira, 7, o fechamento de todos os bares e cafés pelo período de um mês, em um esforço para conter o avanço da pandemia de coronavírus na Bélgica. A medida passa a valer já a partir da quinta-feira, 8.

Os locais onde as refeições são servidas à mesa podem permanecer abertos, mas os espaços destinados ao consumo de bebidas alcoólicas ficarão fechados até 8 de novembro na capital belga. Salões de festas também devem permanecer fechados até a mesma data.

A decisão ocorre diante do forte aumento na Bélgica do número de casos da Covid-19. Na última semana, o país teve uma média de 2.500 novos casos por dia, um aumento de 57% em relação à semana anterior. Bruxelas tem o maior número de infecções na Bélgica e o segundo maior na Europa, depois de Paris.

Anteriormente, o governo belga havia anunciado que bares e cafés passariam a fechar às 23h, mas o chefe do Executivo da região, Rudi Vervoort, considerou que as restrições seriam insuficientes para conter o aumento no número de infecções.

“O objetivo era ter as medidas mais claras possíveis”, disse Vervoort.

Continua após a publicidade

Além disso, o governo belga reduziu de cinco para quatro o número máximo de pessoas permitidas dentro de “bolhas sociais”, círculos próximos de amigos e família com quem é permitido socializar ao mesmo tempo. Ou seja, reuniões em ambientes externos, em casa e em mesas de restaurantes serão limitadas a quatro pessoas – a não ser que todos morem juntos.

“Podemos ver que a propagação do vírus está se acelerando consideravelmente. Precisamos parar essa aceleração o mais rápido possível”, disse Alexander De Croo, primeiro-ministro da Bélgica.

As medidas adotadas para estabelecimentos belgas são semelhantes às que Paris anunciou na véspera. Bares da capital francesa fecharam as portas na terça-feira 6, enquanto cafés e bares nos arredores da capital ficarão interditados por um período inicial de 15 dias. A cidade também passa por uma degradação do quadro da pandemia, registrando 260 casos a cada 100.000 habitantes e 36% dos leitos de UTI ocupados.

Na Espanha, autoridades de Madri reconheceram um similar ressurgimento de novos casos. A região de 6,6 milhões de habitantes concentra um terço das novas infecções e mortes registrados no país nas últimas semanas. Um confinamento parcial, antes restrito apenas à capital espanhola, estendeu-se para as cidades de León e Palencia.

Em meados de setembro, a Organização Mundial da Saúde (OMS) expressou preocupação com o “alarmante” ritmo de transmissão do coronavírus na Europa. Para o órgão, apesar da aceleração da pandemia no no continente, governos locais estão relaxando demais as restrições.

“Os números de setembro deveriam servir de alerta para todos nós na Europa, onde o número de casos é superior aos registrados em março e abril”, disse Hans Kluge, diretor regional da OMS no continente.

(Com AFP)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.