Clique e assine com até 92% de desconto

Para aliviar solidão na pandemia, Reino Unido libera ‘bolhas de apoio’

O premiê Boris Johnson flexibilizou restrições de isolamento para pessoas que moram sozinhas ou pais solteiros

Por Da Redação Atualizado em 10 jun 2020, 19h52 - Publicado em 10 jun 2020, 19h30

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, anunciou nesta quarta-feira, 10, que o país deve adotar um plano de “bolhas de apoio”, que vai relaxar restrições do coronavírus e permitir que pessoas que moram sozinhas compartilhem seus lares. A medida tem como objetivo aliviar a solidão entre os adultos que passam sozinhos pela pandemia.

Cerca de 11 milhões de pessoas vivem sozinhas ou são pais solteiros no Reino Unido. As novas regras serão aplicadas a partir da meia-noite do sábado, 13, possibilitando reencontros entre avós e netos e casais que não se veem há três meses.

ASSINE VEJA

Os riscos da escalada de tensão política para a democracia Leia nesta edição: como a crise fragiliza as instituições, os exemplos dos países que começam a sair do isolamento e a batalha judicial da família Weintraub
Clique e Assine

Pais solteiros e seus filhos menores de 18 anos, assim como adultos que moram sozinhos, poderão entrar e passar a noite em outra casa sem observar regras de distanciamento físico, reporta o jornal britânico The Guardian.

No entanto, uma família com diversas pessoas só poderá receber uma família com uma única pessoa, podendo gerar escolhas difíceis.

“Estamos fazendo essa alteração para apoiar aqueles que são particularmente solitários como resultado de medidas de bloqueio”, disse Johnson. “[O plano] não foi desenvolvido para que pessoas que não se qualificam possam se encontrar dentro das casas umas das outras, porque isso continua sendo ilegal”, alertou.

Continua após a publicidade

Na semana passada, foi apresentado um projeto de lei que proibia explicitamente os britânicos de passarem a noite em uma casa que não seja a sua.

Se algum membro da “bolha de apoio” desenvolver sintomas da Covid-19, todos os membros deverão fazer uma quarentena obrigatória de 14 dias, como é regularmente orientado.

  • No ano passado, havia 8,2 milhões de pessoas morando sozinhas e 2,9 milhões de famílias com pais solteiros, de acordo com o Escritório de Estatísticas Nacionais.

    Segundo o Guardian, o governo foi criticado por priorizar a reabertura da economia, incluindo zoológicos, lojas e cinemas ao ar livre antes do contato entre famílias e do retorno total das escolas. No entanto, o parlamentares e consultores científicos enfatizaram que o maior risco de transmissão está entre famílias, e não nos locais de trabalho distanciados.

    Uma exceção à regra de exclusividade é que os pais separados podem continuar compartilhando a guarda dos filhos. Assim, essas crianças poderiam participar de duas “bolhas de apoio” diferentes – uma bolha para cada pai.

    Continua após a publicidade
    Publicidade