Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Paquistão acusa Índia de usar água como arma em disputa na Caxemira

Paquistaneses acusam país vizinho de não comunicar a liberação da água de uma represa, que pode causar inundação na fronteira

Por Reuters 20 ago 2019, 02h17

Acusando a Índia de travar uma “guerra de quinta geração”, o Paquistão disse, nesta segunda-feira 19, que Nova Délhi não comunicou a liberação da água de uma represa, que pode causar inundação na fronteira.

As relações entre os vizinhos, já hostis, se deterioraram profundamente após a decisão indiana deste mês de revogar o status especial de sua parte na região da Caxemira, que os dois países reivindicam. O Paquistão reagiu com fúria, cortando os laços de transporte e comércio e expulsando o embaixador da Índia em retaliação.

O governo paquistanês disse que a liberação inesperada de água no rio Sutlej, que flui da Índia ao Paquistão, foi parte de uma tentativa da Índia de desdenhar um tratado bilateral de longa data.

  • “Eles tentam isolar diplomaticamente, tentam estrangular economicamente, estão tentando estrangular nossos recursos hídricos -e a água automaticamente terá um impacto na sua economia, sua agricultura e sua irrigação”, disse Muzammil Hussain, presidente da Agência de Desenvolvimento de Água e Energia (Wapda), à Reuters.

    A Índia está aproveitando sua posição correnteza acima para travar uma “guerra de quinta geração” contra o país, disse Hussain, cuja agência é responsável pela água no Paquistão.

    As autoridades de emergência paquistanesas estavam se preparando para pequenas inundações em várias áreas do Estado de Punjab nesta segunda-feira devido à liberação inesperada do fluxo de água, mas não ficou claro se ocorreu de fato.

    Uma autoridade do governo indiano a par do assunto disse que a liberação de água é um “exercício de rotina” durante a temporada de monções e que o tratado bilateral não exige que se comunique o volume em questão.

    Continua após a publicidade
    Publicidade