Clique e assine a partir de 8,90/mês

Papa se reúne com cardeal brasileiro João Braz de Aviz

Encontro foi privado, e o Vaticano não informou sobre os assuntos tratados

Por Da Redação - 25 mar 2013, 11h28

O papa Francisco se reuniu nesta segunda-feira com o cardeal brasileiro João Braz de Aviz, prefeito regional da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada, informou o Vaticano. O pontífice se encontrou também com o cardeal canadense Marc Ouelle. Ambos eram considerados possíveis nomes para suceder Bento XVI no trono de Pedro. Os encontros foram privados, e o Vaticano não informou os assuntos tratados nas reuniões.

O cardeal brasileiro João Braz de Aviz, de 65 anos, foi nomeado cardeal no ano passado pelo papa Bento XVI. Defensor da Teologia da Libertação – corrente católica que busca a defesa de minorias oprimidas -, ele é afinadíssimo com a Santa Sé, e único entre os cardeais brasileiros a trabalhar no Vaticano. Seu trabalho pastoral e como arcebispo lhe rendeu elogios e alguma influência.

Leia também:

Leia também: Por que Francisco será diferente dos outros papas

Em suas missas, Aviz costumava citar questões ligadas à política nacional, como a aprovação da Lei da Ficha Limpa. “É uma lei vitoriosa, ajudou a impedir que políticos corruptos nos governem”, avaliou. Em recente entrevista a VEJA, disse que a Igreja “passa por um momento eclesiástico delicado”.

Continua após a publicidade

“Em substituição à religião, abre-se espaço para a crença de que a felicidade está no prazer imediato. É extremamente difícil pregar a essas pessoas o valor maior de Jesus Cristo, o de, acima de tudo, amar o próximo. Muitas vezes amar o próximo requer sacrifícios individuais. Antes, quando um religioso deixava a Igreja, ele dizia: ‘Errei na minha vocação’. Agora, ele diz: ‘Não sou mais feliz aqui’.”

Saiba mais:

Saiba mais: ‘Francisco sempre foi aberto a todas as religiões’, diz rabino

Missa – Francisco celebrou nesta segunda-feira a primeira missa da manhã junto ao cardeal Raúl Eduardo Vela Chiriboga, arcebispo emérito de Quito. Esta é a segunda vez em poucos dias que os dois realizam uma missa juntos. Eles foram acompanhados por funcionários do serviço fotográfico e diretores do jornal L’Osservatore Romano.

Há alguns dias, a missa matutina do pontífice argentino foi acompanhada por jardineiros e faxineiros do Vaticano, assim como pelos funcionários da Casa Santa Marta, onde Francisco está alojado até assumir o apartamento papal. O Vaticano informou ainda que, em 27 de março, apresentará o documentário Papa Francisco, realizado pelo Centro Televisivo Vaticano, que aborda desde a renúncia de Bento XVI até o encontro que ambos mantiveram neste fim de semana na residência de Castel Gandolfo.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade