Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Papa inicia viagem à Ásia e volta a pedir que fiéis orem por ele

Líder religioso embarca para ao Sri Lanka e as Filipinas na segunda-feira, em sua segunda viagem ao continente

O papa Francisco pediu, neste domingo, aos fiéis reunidos na Praça de São Pedro, no Vaticano, que o acompanhem em oração em sua segunda viagem à Ásia, que começará nesta segunda-feira. “Amanhã à tarde iniciarei uma viagem apostólica ao Sri Lanka e às Filipinas. Peço-lhes que me acompanhem em oração”, disse o pontífice na tradicional cerimônia do Angelus.

O papa jesuíta, que sonhou quando jovem em ser missionário no Japão, é particularmente receptivo aos problemas desse continente, principalmente os da China, onde os jesuítas introduziram a fé católica no século XVI. Francisco já visitou a Coreia do Sul. Ele ficará no continente, considerado crucial para o terceiro milênio do cristianismo, até o dia 19.

Leia também:

Papa denuncia a ‘crueldade humana’ no atentado em Paris

Papa condena ‘perseguição brutal’ a minorias religiosas

Filipinas – Os católicos representam apenas 3% da população asiática, mas são majoritários nas Filipinas, onde aproximadamente 85% da população, ou seja, 75 milhões de pessoas, é católica. As Filipinas são o terceiro país com mais católicos no mundo, depois do Brasil e do México.

Francisco, que fez 78 anos em dezembro, percorrerá em uma semana mais de 12.000 km, pegará vários voos e usará helicóptero e papamóvel para cumprir todos seus compromissos. Os filipinos esperam com ansiedade a visita papal e devem comparecer em massa às cerimônias previstas em Manila e Tacloban, a cidade mais atingida por um tufão que deixou cerca de 8.000 mortos em 2013.

No Sri Lanka, onde permanecerá de 13 a 15 de janeiro, o Papa rezará pela reconciliação nacional depois da guerra que atingiu esse país e que dividiu, inclusive, a comunidade católica, já dividida entre tâmeis e cingaleses. Em um país com 70% da população budista, 10% muçulmana e 7% cristã, o diálogo inter-religioso será a mensagem principal do Papa.

(Com AFP)