Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Papa Francisco diz que discursos de populistas lembram os de Hitler

Pontífice afirma que epidemia de Covid-19 é resposta da natureza à ingerência humana no clima

Por Da Redação Atualizado em 8 abr 2020, 21h32 - Publicado em 8 abr 2020, 18h19

O papa Francisco afirmou em entrevista no site britânico The Tablet os discursos dos políticos populistas europeus sobre a epidemia de coronavírus e a retomada da economia  se assemelham aos do ditador da Alemanha Nazista, Adolf Hitler. Para o pontífice, as autoridades apenas pensam na economia e não nas pessoas. As declarações foram publicadas nesta quarta-feira, 8.

“Nesta época na Europa, quando estamos começando a ouvir discursos populistas e somos testemunhas de decisões políticas seletivas, é muito fácil lembrar dos discursos de Hitler em 1933, que não eram muito diferentes dos de alguns políticos europeus agora”, afirmou o pontífice. “É verdade, muitos governos tomaram medidas exemplares para defender a população baseados em prioridades claras. Mas estamos percebendo que todo o nosso pensamento, goste ou não, foi formatado ao redor da economia. No mundo das finanças, tornou-se normal sacrificar (as pessoas) para praticar a política da cultura descartável.”

Embora sua crítica tenha sido orientada aos populistas europeus, não deixa de atingir o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que tardou em tomar as primeiras medidas contra a pandemia e até recentemente defendia a reabertura dos negócios até o próximo dia 12. Com o cuidado de não mencionar nomes, sua declaração também terá atingido o presidente Jair Bolsonaro, por sua oposição às medidas de isolamento social. Na Europa, os líderes populistas dobraram-se mais rapidamente do que os do Hemisfério Ocidental à adoção de restrições à circulacão de pessoas.

“Essa crise está afetando a todos nós, ricos e pobres, e colocando em foco a hipocrisia. Estou preocupado com a hipocrisia de certas personalidades políticas que falam em enfrentar a crise (…) mas que, entretanto, fabricam armas. Este é um momento para deixarmos de lado esse tipo de hipocrisia funcional. É hora de integridade. Ou somos coerentes com nossas crenças ou perdemos tudo”, afirmou o papa.

Mudança Climática

Francisco também declarou que a pandemia de Covid-19, a doença provocada pelo coronavírus, é uma resposta da natureza contra a ingerência humana no clima.  “Existe uma expressão no espanhol: ‘Deus sempre perdoa; nós às vezes perdoamos, mas a natureza nunca perdoa’ (…) Quem agora fala sobre os incêndios na Austrália ou se lembra que há 18 meses um barco cruzou o polo norte porque as geleiras derreteram? (…) Eu não sei se isso (pandemia) é a vingança da natureza, mas certamente é uma resposta da natureza”, afirmou o pontífice na entrevista por e-mail.

Continua após a publicidade

Também criticou as lembranças seletivas da humanidade, que se esqueceram de pestes e outras catástrofes enfrentadas. “Nós precisamos recuperar nossa memória, porque somente ela virá à nossa ajuda”, disse. “Essa não é a primeira praga que a humanidade enfrentou. As outras se tornaram apenas narrativas.”

 

  • O papa Francisco, de 83 anos, mudou radicalmente como o Vaticano e a Santa Sé operam em meio à pandemia do novo coronavírus. O pontífice, que na casa dos 20 anos de idade teve uma infecção e perdeu um dos pulmões, testou negativo de Covid-19 por duas vezes. Mas se mantém isolado desde março quando apresentou sintomas de gripe. Suas aparições têm sido filmadas e transmitidas online, como a bênção Urbi et Orbis, no último 27, realizada na praça de São Pedro vazia.

    A Assessoria de Imprensa do Vaticano informou à emissora americana CNN que o papa faz todas as suas refeições em seu quarto e higieniza suas mãos antes e depois de se encontrar com visitantes e hóspedes. A precaução extra visa mantê-lo distante de quem pode ter consigo o coronavírus.

    O Vaticano confirmou sete casos do novo coronavírus e nenhuma morte. No mundo, a doença atingiu 1.475.976 pessoas e, dentre elas, matou 86.979. O pior cenário continua a ser o dos Estados Unidos, com 404.352 casos e 13.829 mortes, segundo levantamento em tempo real da Johns Hopkins University.

    Continua após a publicidade
    Publicidade