Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Pai prefere ver filha morrer afogada a deixá-la ser ‘tocada’ pelo salva-vidas

O homem chegou a lutar contra salva-vidas em uma praia de Dubai para que a honra de sua filha não fosse maculada por "pessoas estranhas"

(Atualizada às 15h01)

Uma jovem de 20 anos se afogava em uma praia em Dubai, nos Emirados Árabes, e seu pai impediu que salva-vidas a ajudassem. Segundo ele, ninguém poderia tocá-la já que o ato a desonraria. No momento que alguém tentava saltar na água para salvá-la, o homem impedia a tentativa segurando os salva-vidas e golpeando-os.

“O pai levou sua esposa e filhos para um piquenique na praia. As crianças estavam nadando quando de repente a jovem de 20 anos começou a pedir ajuda. Dois homens foram resgatá-la, mas encontraram um obstáculo que os impediu de alcançá-la. Este obstáculo foi a crença de seu pai, que não permitiu que um homem a tocasse porque a desonraria”, disse o oficial Ahmed Burqibah, do departamento de emergências e resgate da Polícia de Dubai. Segundo Burqibah, o pai preferiu que a filha morresse a ser tocada por “pessoas estranhas”.

LEIA TAMBÉM:

Turista holandesa morre ao saltar de bungee jumping na Espanha

O oficial afirmou que o atraso no resgate ajudou a matar a jovem. “Ela morreu mesmo tendo a oportunidade de ter sobrevivido, especialmente quando equipes de resgate estavam tão perto”, comentou Burqibah. O pai foi detido e será processado por ter impedido o salvamento da filha. As identidades dos membros da família foram divulgadas.

Nota de esclarecimento – O incidente aconteceu em 1996, mas foi noticiado pelo site de notícias Emirates 24/7 como se tivesse acontecido neste domingo. A informação ganhou repercussão internacional após a rede catariana Al Jazeera divulgar a história nesta terça-feira. Em uma versão atualizada de seu próprio texto, o Emirates 24/7 explica que o policial Ahmed Burqibah, citado na reportagem original, falava sobre “os piores casos que viu em sua carreira”.

(Da redação)