Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Pai de piloto capturado faz apelo ao Estado Islâmico

Subtenente de 26 anos está em poder dos terroristas desde que seu avião caiu, em circunstâncias ainda desconhecidas

Por Da Redação 25 dez 2014, 12h26

O pai do piloto de caça capturado na quarta-feira pelo Estado Islâmico (EI) na Síria, após a queda de seu avião, fez um apelo aos terroristas: “Espero que Deus leve piedade ao coração do Daesh (acrônimo em árabe do EI) para libertá-lo”. Yusef Kasasbeh também pediu aos jihadistas que tratem seu filho como um “hóspede entre irmãos”.

A captura de Moaz Kasasbeh, subtenente de 26 anos que se casou recentemente, provocou comoção na Jordânia. O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu aos sequestradores que “tratem o piloto segundo as regras do direito humanitário internacional”. Lloyd Austin, comandante do Centcom, comando americano responsável pela região, afirmou que o governo dos Estados Unidos apoiará “todos os esforços para que o piloto seja socorrido”, sem entrar em detalhes.

A Jordânia é um dos países árabes que participam das missão militar liderada pelos Estados Unidos para bombardear o grupo Estado Islâmico, que controla territórios na Síria e no Iraque.

De acordo com Nael Mustafa, militante anti-EI na Síria, os jihadistas estão divididos sobre o destino do piloto. “Os chechenos querem matá-lo, enquanto os iraquianos querem mantê-lo com vida. Há algum tempo acontecem discussões entre eles sobre quem deve dar as ordens”, diz. Segundo Mustafa, a decisão será tomada pelo Conselho Consultivo, uma instância com representação de todas as nacionalidades presentes no EI.

Captura – O EI publicou em sites imagens do piloto após a captura. Uma das fotografias mostra o jordaniano vestido apenas com uma camisa branca e carregado por quatro homens, que o retiram da água, um lago ou rio, o possível local de sua queda após a ejeção do caça.

Esse foi o primeiro avião perdido desde o início da campanha de ataques aéreos da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos no Iraque e na Síria. As circunstâncias da queda do F-16 de fabricação americana continuam incertas.

Leia também:

Mais de 1.000 terroristas do EI foram mortos em ataques na Síria

França desmantela rede que enviava jihadistas à Síria

Continua após a publicidade
Publicidade