Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Pacote-bomba explode e deixa um ferido em Roma

Por AFP 9 dez 2011, 10h29

Um pacote-bomba explodiu nesta sexta-feira, em Roma, nas proximidades de Equitalia, uma agência especializada no recolhimento de impostos, informou a agência italiana Ansa.

O pacote chegou pelo correio e feriu as mãos e o olho do diretor da agência.

De acordo com a agência Ansa, o pacote estava dirigido ao diretor da Equitalia, Marco Cuccagna. Os peritos em explosivos e a Digos, a polícia encarregada de ações contra a máfia e o terrorismo estão investigando o caso.

Na véspera, uma carta-bomba foi enviada ao presidente do Deutsche Bank, Josef Ackermann, e um grupo italiano “terrorista de extrema-esquerda anarquista reivindicou” o envio, informou a polícia de Frankfurt, onde a correspondência foi interceptada na quarta.

No interior da carta-bomba, os peritos encontraram um manuscrito em italiano no qual a “Federação Anarquista Informal reivindica a responsabilidade da tentativa de atentado”, indicou a polícia, classificando este grupo italiano de “organização terrorista de extrema-esquerda anarquista”.

Um porta-voz do gigante bancário alemão não confirmou o reforço das medidas de segurança, segundo havia indicado a imprensa. “Por razões de segurança não podemos dizer nada sobre o tema”, explicou.

O incidente ocorre em meio à crise financeira na zona e no momento em que é colocada em questão a responsabilidade dos bancos nesta crise e nas ajudas públicas de receberam.

Ackermann, de 63 anos e nacionalidade suíça, é o banqueiro mais conhecido da Alemanha.

Continua após a publicidade

Publicidade