Clique e assine a partir de 8,90/mês

Otan transfere controle total de prisão para governo afegão

Esta é parte importante do processo de transição da segurança às forças locais

Por Da Redação - 25 mar 2013, 08h53

A missão da Otan no Afeganistão (Isaf) entregou nesta segunda-feira às autoridades afegãs, após vários atrasos, o controle total da prisão de Bagram, que fica próxima a uma base militar dos Estados Unidos localizada em Cabul. “A transferência do centro de detenção é parte importante do processo de transição da segurança às forças afegãs”, afirmou o principal responsável da missão da Otan e das tropas americanas no Afeganistão, o general Joseph Dunford.

A entrega foi feita em uma cerimônia simbólica na qual o ministro afegão de Defesa, Bismila Mohamadi, e Dunford assinaram um memorando de entendimento pelo qual se garante “o tratamento justo e humano dos detidos”. Situada a cerca de 60 quilômetros ao norte de Cabul, na província de Parwan, a casa de detenção abriga muitos líderes da insurgência talibã e foi utilizado como a maior e mais importante prisão dos EUA no Afeganistão.

Leia também:

Leia também: Obama indica que pode acelerar saída do Afeganistão

Em setembro de 2012, a Isaf entregou parte do controle de Bagram, incluídos 3.000 reclusos, às autoridades afegãs, embora 600 prisioneiros, os mais perigosos, continuaram sob tutela de militares americanos, segundo a imprensa local. A cerimônia de hoje deveria ter sido realizada no início do mês, durante a visita ao Afeganistão do recém-nomeado secretário de Defesa de EUA, Chuck Hagel, mas por motivos não revelados a transferência foi adiada.

Continua após a publicidade

Mal-estar – A imprensa local divulgou, nesta segunda, que o recente anúncio do presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, de que libertaria os presos “inocentes” de Bagram, causou mal-estar em Washington e pode ter sido um dos motivos do adiamento. A prisão de Bagram foi objeto de várias controvérsias desde a invasão do Afeganistão, em 2001, em uma missão liderada pelas forças americanas.

Saiba mais:

Saiba mais: Karzai pede que tropas da Otan abandonem aldeias afegãs

Organizações defensoras dos direitos humanos, como a Anistia Internacional (AI), denunciaram com frequência que os Estados Unidos prenderam no local centenas de pessoas, entre elas menores de idade, sem acesso a advogados nem a um julgamento. O presidente Karzai criticou em várias ocasiões a existência da prisão como uma violação da soberania do Afeganistão.

Nesta segunda, o secretário de Estado americano, John Kerry, fez uma visita surpresa ao Afeganistão para conversar com Karzai. Eles devem discutir uma série de questões, incluindo a reconciliação afegã, a transferência da responsabilidade da segurança para as forças afegãs com a retirada da maioria das tropas estrangeiras do país, e as eleições no Afeganistão, segundo uma autoridade americana não identificada.

(Com agências EFE e Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade